May 21, 2020 / 12:32 AM / in 2 months

Atvos aprova plano de recuperação judicial em assembleia de credores

SÃO PAULO (Reuters) - A Atvos, uma das principais produtoras de etanol do país, teve seu plano de recuperação judicial aprovado nesta quarta-feira em Assembleia Geral de Credores e já planeja retomar investimentos para renovação dos canaviais e melhoria das operações, informou a companhia em comunicado.

O documento será levado a homologação do Judiciário, disse a empresa que, atualmente, é responsável por cerca de 10% do abastecimento de etanol no mercado brasileiro.

“O plano de recuperação judicial especifica condições de pagamentos para as diversas classes de créditos devidos pela empresa. A prioridade é o pagamento dos créditos de fornecedores e parceiros agrícolas”, afirmou.

Os pagamentos serão realizados em parcela única, no prazo de 90 dias —para os credores que optarem por receber até 50 mil reais—, ou em três parcelas anuais com primeiro pagamento um ano após a homologação.

Por meio da transferência de 46% da dívida das unidades operacionais, a Atvos espera que a alavancagem da empresa recue de 6 vezes para 3 vezes.

OPERAÇÃO

Para a safra 2020/21, a Atvos projeta moer cerca de 26,9 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, o suficiente para produzir 1,9 bilhão de litros de etanol e 447 mil de toneladas de açúcar.

O volume de cana processada deve ficar estável ante a temporada de 2019/20, mas a estimativa para a produção de etanol representa queda de 11,2% em relação aos 2,14 bilhões de litros fabricados na safra passada. Já a projeção para o açúcar é 90,2% maior, visto que foram produzidas 235 mil toneladas do adoçante no ciclo anterior.

No período, a empresa informou que deve investir 350 milhões de reais em renovação e expansão de canaviais, equipamentos agrícolas e aprimoramentos industriais.

Até a safra 2025/26, o objetivo da Atvos é aumentar de 13% para 17% as taxas de renovação do canavial que terá sua idade média reduzida de 3,9 anos para 3 anos. Em relação à expansão, estão previstos 55 mil novos hectares de plantio. Hoje, a empresa administra 498 mil hectares de cana.

A expectativa é alcançar em seis safras capacidade de moagem de 35 milhões de toneladas, produção de 2,7 bilhões de litros de etanol, 317 mil toneladas de açúcar VHP e 3,6 mil GWh de energia elétrica a partir da biomassa da cana-de-açúcar.

“Com a diluição de custos promovidos pelo aumento da moagem, espera-se melhorar de forma significativa a rentabilidade das operações.”

Nayara Figueiredo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below