May 26, 2020 / 5:37 PM / a month ago

Hypera detecta R$110,6 mi em pagamentos indevidos

SÃO PAULO (Reuters) - A Hypera Pharma disse que um de seus acionistas controladores reembolsará a empresa após uma investigação interna detectar “pagamentos irregulares” feitos por ex-executivos em conexão com uma investigação criminal, o que fazia as ações da farmacêutica dispararem na bolsa paulista.

A investigação interna, conduzida por um comitê independente em abril de 2018, veio após a Polícia Federal revelar evidências de corrupção de ex-executivos, mostrando que a fabricante de medicamentos havia feito pagamentos irregulares de 110,557 milhões de reais, disse Hypera nesta terça-feira.

A empresa adicionou que nenhum dos indivíduos envolvidos nos atos ilícitos trabalha mais para a empresa ou suas subsidiárias.

A Hypera também disse que seu acionista fundador, João Alves de Queiroz Filho, concordou em reembolsar a Hypera em quatro parcelas “sem assumir a responsabilidade” pelos atos.

A investigação policial foi resultado de um depoimento do ex-executivo Nelson José de Mello.

O comitê especial recomendou que o conselho da Hypera adote medidas para fortalecer os padrões de conformidade e controles internos.

“A conclusão da investigação tem um impacto positivo para a empresa por várias razões”, disse Henrique Esteter, analista da corretora Guide. “A perspectiva de melhor conformidade para impedir que essas irregularidades aconteçam novamente também ajuda”, acrescentou.

A ação da Hypera subia 8% às 14:20, enquanto o Ibovespa avançava 0,2%.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below