June 2, 2020 / 12:07 PM / in a month

Economia francesa recuará 11% em 2020 e há mais dias difíceis pela frente, diz ministro

Bruno Le Maire, ministro das Finanças da França, durante evento em Paris 07/05/2020 REUTERS/Christophe Archambault/Pool

PARIS (Reuters) - A economia francesa deve contrair 11% este ano devido à crise do coronavírus e há mais dias difíceis pela frente até que as coisas se recuperem no próximo ano, disse o ministro das Finanças do país, Bruno Le Maire, nesta terça-feira.

A França impôs um dos mais rígidos bloqueios da Europa em meados de março e só começou a remover as restrições em 11 de maio. Cafés, bares e restaurantes só foram autorizados a reabrir para atividades regulares nesta terça-feira.

“Fomos atingidos com força pelo vírus, tomamos medidas eficazes para proteger a saúde do povo francês, mas a economia praticamente parou por três meses”, disse Le Maire à rádio RTL.

“Vamos pagar por isso com crescimento”, disse ele, acrescentando que uma atualização orçamentária em preparação previa uma contração de 11%, contra estimativa de queda de 8% anteriormente.

“Mesmo que seja difícil ouvir isso num dia em que o sol está brilhando e os cafés estão reabrindo, a parte mais difícil ainda está à nossa frente em termos sociais e econômicos”, disse Le Maire.

Por Sudip Kar-Gupta e Leigh Thomas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below