for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Bostic, do Fed, pede fim do racismo e diz que Fed pode ter papel nesse processo

Presidente do Federal Reserve de Atlanta, Raphael Bostic 04/01/2019 REUTERS/Christopher Aluka Berry

(Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Atlanta, Raphael Bostic, a única autoridade afro-americana do Fed, emitiu nesta sexta-feira um apelo apaixonado pelo fim do racismo e listou maneiras pelas quais o banco central dos Estados Unidos pode ajudar a fazê-lo.

“Eu compartilho da indignação dos eventos verdadeiramente horríveis que nos levaram a esse ponto”, escreveu Bostic no site do banco, referindo-se ao assassinato de George Floyd em 25 de maio durante uma prisão pela polícia de Minneapolis, bem como ao racismo em geral.

O Fed “pode desempenhar um papel importante para ajudar a reduzir as desigualdades raciais e promover uma economia mais inclusiva”, disse ele, uma que “representaria uma reprovação ao racismo sistêmico e a outras estruturas de exclusão”.

Reportagem de Ann Saphir

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up