June 19, 2020 / 11:36 PM / 20 days ago

Gasolina e etanol mantêm alta nos postos, diz ANP; diesel fecha semana estável

Posto de combustíveis no Rio de Janeiro (RJ) 29/05/2018 REUTERS/Sergio Moraes

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços médios da gasolina e do etanol nos postos brasileiros avançaram pela quarta semana consecutiva, enquanto o diesel, combustível mais utilizado no país, fechou perto da estabilidade, mostraram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira.

O movimento de alta vem desde o final de maio, após consecutivas semanas de retração das cotações nas bombas, e acompanha uma recuperação nos preços do petróleo no mercado internacional, impulsionada por cortes de oferta de grandes produtores do grupo conhecido como Opep+.

Embora preocupações com o coronavírus ainda pesem sobre o mercado de petróleo, a commodity encerrou a semana com ganhos de cerca de 9%.

Em paralelo, a estatal Petrobras elevou os preços do diesel em suas refinarias em 8% a partir desta sexta-feira, enquanto a gasolina teve reajuste de 5%.

Foi o sexto movimento seguido de alta na gasolina e o segundo no diesel, embora ambos combustíveis ainda acumulem significativa retração no ano, dada a redução da demanda e consequentemente dos preços do petróleo depois da pandemia de coronavírus.

Nos postos, a gasolina fechou a semana a 3,986 reais por litro, ou 1,92% acima do valor médio registrado na semana anterior, segundo os dados da ANP.

O preço da gasolina ainda marca queda de 12,5% ante a primeira semana de janeiro. O recuo acumulado nas refinarias da Petrobras no período, no entanto, é bem maior, de quase 20%.

Já o diesel encerrou praticamente estável nas bombas, a 3,048 reais por litro, com alta semanal de 0,07%, enquanto acumula queda de 19,3% na comparação com janeiro. Nas refinarias da Petrobras a queda ao longo do ano ainda é de 19%.

O etanol hidratado, concorrente da gasolina nas bombas, acompanhou a rival e também subiu pela quarta semana, para 2,681 reais por litro, ou 2,68% acima da semana anterior. No ano, o biocombustível acumula retração de 15,5% para o consumidor final.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below