for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Conab vê produção de açúcar recorde no Brasil em 20/21, com alta de 32%

16/12/2018. REUTERS/Emmanuel Foudrot

SÃO PAULO (Reuters) - A produção de açúcar do Brasil na temporada 2020/21 deve registrar um recorde de 39,33 milhões de toneladas, com crescimento de 32% frente à safra anterior, projetou nesta quinta-feira a estatal Companhia Nacional do Abastecimento (Conab).

A previsão foi fortemente elevada frente à primeira estimativa da Conab para o ciclo, em maio, quando a produção de açúcar foi vista em 35,3 milhões de toneladas, diante de uma expectativa de maior moagem e de uma revisão no mix de cana direcionada à commodity, para cerca de 46%.

A safra de cana foi projetada pela Conab agora em 642 milhões de toneladas, com redução de 0,1% frente à temporada anterior, mas superior à estimativa de 630,7 milhões em maio.

A produção total de etanol do Brasil em 2020/21 foi projetada pela Conab em 30,56 bilhões de litros, queda de 14,3% ante a safra anterior, com 27,8 bilhões de litros em etanol de cana e 2,7 bilhões de litros produzidos a partir do milho.

A estatal destacou ainda que a produção extra “já tem mercado garantido”, uma vez que a exportação brasileira de açúcar saltou 70% nos primeiros quatro meses da safra (abril-julho) ante mesmo período de 2019.

“E a expectativa é de que continue em alta”, disse a Conab sobre as exportações, citando dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

“O impulso vem da oferta mundial limitada por adversidades climáticas em importantes produtores da Ásia e também da taxa de câmbio elevada, acrescentou a Conab.

Os preços de exportação em dólar na média de abril a julho foram 63% maiores, enquanto mais que dobraram em reais no período, com aumento médio de 127%, apontou a Conab, novamente citando dados da Secex.

A redução no consumo de etanol no mercado doméstico no primeiro semestre devido a restrições de mobilidade associadas a medidas adotadas contra o coronavírus também ajudou na oferta de açúcar do Brasil, ao levar usinas a destinarem fatia maior da cana para produção de açúcar, acrescentou a estatal.

Por Luciano Costa

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up