for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Produtividade da cana do centro-sul sobe 6,3% em julho e 3,4% na safra, diz Unica

SÃO PAULO (Reuters) - O rendimento médio das lavouras de cana do centro-sul em julho aumentou 6,3% na comparação com o mesmo mês de 2019, atingindo 85,8 toneladas por hectare, indicou nesta sexta-feira o Cana Zoom, relatório produzido pela União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica), em parceria com outras instituições.

Plantio de cana-de-açúcar em Ribeirão Preto (SP) 02/05/2019 REUTERS/Marcelo Teixeira

Segundo a Unica, parte do crescimento de produtividade se deve à colheita de um canavial mais novo.

No acumulado da safra 2020/21, a produtividade agrícola na região centro-sul atingiu 86,3 toneladas por hectare, aumento de 3,4% em relação ao ciclo anterior.

A Unica informou ainda, segundo relatório produzido juntamente com Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), o Sistema Tempocampo e o Laboratório Integrado de Análise de Dados em Agronegócio e Bioenergia (Linear), que a idade média do canavial alcançou 3,20 anos, ante 3,40 anos da safra anterior.

O Cana Zoom aponta ainda uma maior concentração de açúcares na planta. Desde o início da safra 2020/2021 até o final de julho, o índice de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar na região centro-sul alcançou 135,2 kg, ante 128,8 kg no último ciclo.

“A questão climática foi fator determinante para tanto”, disse a Unica, em referência a um tempo mais seco na maior parte da safra, que ajuda na concentração de açúcares.

No acumulado deste ano, o volume de chuvas ficou 50% inferior à média histórica na região centro-sul.

São Paulo e Minas Gerais foram os mais afetados, apresentando retração de quase 60% na comparação com o patamar histórico.

No mês de julho, a estiagem intensificou os impactos na lavoura, uma vez que o volume de chuvas registrado foi quase nulo, com todas as regiões apresentando quedas superiores a 90% no índice pluviométrico no mês em relação à norma climatológica.

O clima seco também acelerou o andamento da safra, que está 55% concluída.

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades do centro-sul cresceu 5,7% em relação ao ciclo anterior, totalizando mais de 326 milhões de toneladas até o final de julho, informou a Unica, citando dados divulgados anteriormente.

A produção de açúcar das usinas do centro-sul do Brasil na segunda quinzena de julho teve um salto de 37,7% ante mesmo período da safra anterior, para 3,41 milhões de toneladas, disse Unica na semana passada, com preços atrativos levando as usinas a direcionar mais cana para fabricação do adoçante.

A área colhida na safra até julho apresenta crescimento de 2,2% no comparativo com a safra 2019/2020, alcançando 3,78 milhões de hectares no centro-sul.

“O resultado decorre da situação climática favorável à operacionalização da colheita, devido o clima seco registrado desde o início da safra, que permitiu que o aproveitamento de tempo nesse período permanecesse acima da média histórica, atingindo 88% no acumulado da safra”, disse.

Na última semana, contudo, as chuvas começaram a chegar para algumas das principais áreas produtoras de cana do centro-sul, concentrando-se principalmente no Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Na próxima semana, os volumes acumulados serão relativamente baixos, com as precipitações se concentrando na faixa leste, segundo dados do terminal Eikon.

Por Roberto Samora

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up