for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Índice tem leve queda com preocupação sobre quadro fiscal e indefinição no exterior

(Reuters) - O Ibovespa operava em baixa discreta nesta sexta-feira, em sessão marcada por preocupação com a saúde fiscal do país após o esforço do governo para conseguir garantir que o veto do presidente Jair Bolsonaro ao reajuste do funcionalismo não fosse derrubado.

REUTERS/Paulo Whitaker

Às 12:20, o Ibovespa caía 0,54%, a 100.916,80 pontos. O volume financeiro era de 9,4 bilhões de reais. No pior momento da sessão, logo após a abertura, o índice chegou a cair cerca de 1%.

A Câmara dos Deputados confirmou na noite de quinta-feira a manutenção do veto presidencial que proíbe a concessão de reajuste a servidores públicos. A medida, segundo o governo, evita um impacto superior a 120 bilhões de reais nas contas públicas, depois que o Senado havia votado na véspera pela derrubada da proibição.

A notícia amenizou parte das preocupações do mercado na véspera, que fechou em alta de 0,61%. Mas, ainda há preocupações, com analistas da XP Investimentos afirmando em nota que o esforço necessário pelo governo para manter o veto “chamou a atenção”.

Enquanto isso, mercados internacionais não tinham direção definida, com pesquisas da zona do euro mostrando que a recuperação geral da atividade empresarial estagnou. Nos EUA, os dados revelavam outro cenário, com o PMI composto atingindo seu maior nível desde fevereiro de 2019.

Em Wall Street, o S&P 500 tinha oscilação positiva de 0,02%, tendo operado sem direção clara durante amanhã, antes da divulgação dos dados positivos do PMI composto.

DESTAQUES

- COGNA ON caía 4,4%, liderando as perdas do Ibovespa. Uma “política mais restritiva” de renegociação pode impactar as rematrículas da Kroton no segundo semestre, disseram executivos da companhia em teleconferência nesta sexta-feira após resultado do segundo trimestre no final da quinta-feira. A empresa anunciou prejuízo ajustado de 140 milhões de reais, ante lucro de 267 milhões um ano antes.

- QUALICORP ON avançava 7%, após anunciar parceria comercial com a Notre Dame Intermédica, em que a empresa vai vender seus produtos nos canais da Qualicorp. Os papéis da Notre Dame tinham ganho de 0,5%.

- B3 ON apresentava queda de 2,6%, pesando negativamente sobre o índice, em sessão de ajustes após ter marcado alta de 4,6% na véspera.

- ELETROBRAS PNB disparava 9%, como maior alta do Ibovespa e anulando a queda de mais de 7,5% que acumulava na semana até o pregão da véspera.

- PETROBRAS ON e PETROBRAS PN perdiam 1,4% e 1,3%, respectivamente, também responsáveis pelo desempenho negativo desta sexta-feira e em linha com a queda nos preços do contrato futuro do petróleo.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

Edição Alberto Alerigi Jr.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up