for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Fim da cota de etanol sai da pauta de reunião da Camex, dizem fontes

BRASÍLIA/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A discussão em torno do fim de uma cota sem tarifa para importação de etanol pelo Brasil saiu de uma pauta de reunião da Câmara de Comércio Exterior (Camex) prevista para esta quinta-feira, segundo fontes do governo.

REUTERS/Paulo Whitaker

A cota expira ao final deste mês e se não for renovada, como quer o setor produtivo do Brasil, importações do produto de fora do Mercosul passariam a pagar a tarifa de 20%.

Uma reunião extraordinária, no entanto, ainda pode ser convocada para debater o tema, a depender da justificativa dada para a solicitação de urgência, ressaltou a fonte.

Na questão da tarifa de etanol, o governo brasileiro vive um dilema entre desagradar um poderoso lobby agrícola ou irritar um aliado importante, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que em ano de eleição vem sendo pressionado por produtores norte-americanos a demandar o fim da tarifa para importações do combustível pelo Brasil.

Os brasileiros permitem, atualmente, importações de 750 milhões de litros por ano sem taxa.

Uma decisão da Camex (câmara integrada por vários ministérios) que desagrade os EUA pode resultar em uma retaliação, com a imposição de uma tarifa para o etanol brasileiro exportado aos norte-americanos.

“Isso (etanol na pauta da Camex) está bem volátil”, afirmou uma das fontes, que comentou que, por ora, o tema está fora da agenda.

O interlocutor disse que o assunto pode tomar três caminhos: livre comércio de etanol por livre comércio em açúcar; manutenção do regime de cotas, com uma calibragem na quantidade e distribuição ao longo do ano; e fim do regime de cotas com uma calibragem na tarifa.

A fonte, que falou na condição de anonimato devido à sensibilidade do tema, disse ainda que a opção mais realista é a segunda, com a manutenção do regime de cotas.

“Eu acho que o melhor seria um meio termo, mas isso ainda não está na mesa. Ainda estamos com posições extremadas”, afirmou.

Procurado, Ministério da Economia não comentou o assunto.

Já o Ministério da Agricultura afirmou que o assunto ainda está em negociação, e preferiu não se manifestar.

O resultado da reunião da Camex não é divulgado na data do encontro e, de acordo com o artigo 16 da Resolução Gecex nº 1 de 2020, “é vedada a divulgação antecipada de informações sobre deliberações ou resoluções que ainda estejam em fase preparatória ou de finalização”.

Texto de Roberto Samora e Nayara Figueiredo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up