for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Brasil precisa tornar ambiente de negócios amigável ao investidor externo, defende Mourão

Vice-presidente Hamilton Mourão 09/07/2020 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu nesta quinta-feira que o país faça seu “dever de casa”, tornando o ambiente de negócios mais atrativo ao investimento externo, e citou como prioridades as reformas tributária e administrativa.

Para Mourão, já não há mais espaço para o capital especulativo e o Brasil precisa aproveitar sua carência em infraestrutura para receber o capital privado externo.

“Qual o dever de casa que nós temos que fazer? O Brasil tem que se tornar mais amigável para o capital externo, e ele é importantíssimo na infraestrutura”, disse o vice-presidente em mesa redonda organizada pela Federação das Câmaras de Comércio Exterior em parceria com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio de Janeiro.

“O Brasil tem o espaço, a via de acesso para infraestrutura no mundo. Nós temos carência de infraestrutura, então quem trouxer seu recurso para cá vai ganhar dinheiro e é isso que a gente tem que deixar claro”, defendeu.

Mourão lembrou ainda que a segurança jurídica é um fator importante para a atração de investimentos e defendeu uma “união” entre os Poderes Executivo e Legislativo para a aprovação de reformas.

“O investidor externo chega aqui e não entende nada, né, é incompreensível esse nosso sistema tributário”, avaliou.

“Precisamos avançar na reforma tributária, não temos como fugir disso aí”, disse, acrescentando ainda a necessidade de avanço na reforma administrativa, “porque o Estado não pode continuar inchado do jeito que está”.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up