for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Confiança do consumidor alemão enfraquece e lança duvidas sobre recuperação forte

Consumidores na cidade alemã de Stuttgart. REUTERS/Alex Grimm (GERMANY)

BERLIM (Reuters) - A confiança do consumidor alemão piorou para setembro, lançando algumas duvidas sobre se os gastos das famílias na maior economia da Europa são fortes o suficiente para impulsionar a recuperação do choque decorrente da Covid-19, mostrou uma pesquisa nesta sexta-feira.

O instituto GfK disse que seu índice de confiança do consumidor, baseado em uma pesquisa com cerca de 2 mil alemães, caiu para -1,8 para setembro, de -0,2 no mês anterior.

A queda ocorre após três aumentos consecutivos de junho a agosto. A leitura ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de alta a 1,2.

O especialista em consumo do GfK, Rolf Buerkl, apontou um aumento recente de novas infecções por coronavírus e o medo de outra rodada de medidas de isolamento a fim de desacelerar a disseminação da doença, ambas causando incerteza e deprimindo o humor.

“O corte do IVA (imposto sobre valor agregado) que entrou em vigor em 1º de julho está apoiando a propensão ao consumo, mas atualmente ainda não está dando nenhum impulso mais forte”, disse Buerkl.

O tombo no sentimento do consumidor se deveu principalmente à queda nas expectativas de renda, enquanto as expectativas para o desenvolvimento da economia em geral melhoraram pelo quarto mês consecutivo.

Reportagem de Michael Nienaber

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up