for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Mester diz que nova política monetária do Fed deixa claro que emprego forte nem sempre é preocupação

Presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester. REUTERS/ Ann Saphir

NOVA YORK (Reuters) - O novo arcabouço de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) deixa claro que um mercado de trabalho forte por si só não é motivo de preocupação, a menos que haja sinais de inflação ou riscos à estabilidade financeira, disse a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, nesta quarta-feira.

Na semana passada, o banco central dos EUA anunciou uma ampla revisão de sua estratégia de política monetária, adaptando-a a um ambiente no qual as taxas de juros devem permanecer baixas. A mudança coloca mais foco em fortalecer o emprego e permite uma inflação levemente maior.

“O novo tom da abordagem esclarece que, na ausência de pressões inflacionárias ou riscos para a estabilidade financeira, um mercado de trabalho forte não é uma preocupação e a política monetária não reagirá a isso”, disse Mester em comentários preparados para uma webinar.

A estratégia deixa claro que, como a inflação está abaixo da meta do banco central, de 2%, as autoridades do Fed agora “provavelmente irão estabelecer uma política com a intenção de deslocar a inflação moderadamente para acima de 2% por algum tempo”, disse Mester.

A política monetária precisará permanecer acomodatícia por algum tempo, mas os membros do Fomc vão tomar cuidado para que a inflação não fique fora de controle.

“É importante saber que não vamos deixar a inflação descontrolada”, disse Mester durante uma sessão de perguntas e respostas da webinar.

Mais apoio fiscal também é necessário para apoiar a economia, e o governo federal não deve permitir que as preocupações com o déficit dos EUA o impeçam de fornecer a ajuda necessária para famílias e empresas, disse Mester a repórteres após a webinar.

Ela também enfatizou a necessidade de o Fed ter flexibilidade ao determinar quanta inflação pode tolerar sob o novo quadro.

“Seria difícil escolher uma regra de política monetária e dizer que vamos segui-la”, disse Mester. “A economia é muito diferente do modelo simples em que essas regras operam.”

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up