for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

BC não cortará juros antes de ter confiança de adaptação do setor financeiro a novo cenário, diz Kanczuk

Fachada da sede do Banco Central, em Brasília 16/05/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central só promoverá novo corte de juros depois de avaliar que o sistema financeiro está bem adaptado ao cenário de juros baixos, afirmou nesta sexta-feira o diretor de Política Econômica da autarquia, Fabio Kanczuk, frisando que a postura era de cautela.

“O comitê tem que ter a confiança de que o sistema financeiro já está adaptado à nova situação de juros bem mais baixos, então está parando para observar, notar que tudo está funcionando de forma sólida”, afirmou, ao ser questionado sobre o que determinaria uma nova redução da Selic, hoje em 2%.

Kanczuk frisou que a autoridade monetária está acompanhando o funcionamento do sistema financeiro de perto e não detectou nenhum problema, mas entende que deve atuar com cuidado, diante das implicações do novo patamar de juros baixos para os produtos de investimento e o setor financeiro como um todo.

“É mais uma questão de cautela, de conservadorismo, a gente prefere ir devagar mesmo”, disse.

“Pode ter queda de juros? Pode. É provável? Não, a gente também colocou isso na ata (da última reunião do Copom), a barra para queda de juros é muito mais alta do que era antes, por questões prudenciais”, acrescentou.

O diretor também afirmou que o Banco Central só avaliaria recorrer à compra de títulos (quantitative easing) em caso de disfuncionalidade do mercado, e não vê a alternativa, já autorizada pelo Congresso, como um instrumento de política monetária para estimular a economia.

Por Isabel Versiani

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up