for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Termelétrica de Araucária e Gerdau têm aval para importar gás da Bolívia

Gasoduto cruzando a região de Tarenda, Bolívia 30/08/2006 REUTERS/David Mercado

SÃO PAULO (Reuters) - A termelétrica de Araucária, controlada por Copel CPLE6.SA e Petrobras PETR4.SA no Paraná, recebeu autorização do governo para realizar importações de gás natural da Bolívia, assim como unidades da siderúrgica Gerdau GGBR4.SA.

As autorizações foram publicadas pelo Ministério de Minas e Energia no Diário Oficial da União desta terça-feira, todas com validade por período de três anos.

No caso da usina de Araucária, o volume total a ser importado é de até 2,19 milhões de metros cúbicos por dia, na modalidade firme, extraordinário ou interruptível, com transporte pelo gasoduto Bolívia-Brasil.

Já a Gerdau Aços Longos recebeu autorizações em separado para importações por três subsidiárias com entrega no Mato Grosso do Sul, próximo à cidade de Corumbá, para atendimento a unidades fabris.

A Gerdau Aços longos teve aprovadas importações de até 169 mil metros cúbicos por dia, enquanto a Gerdau Aços Especiais teve aval para 140 mil metros cúbicos/dia e a Gerdau Açominas teve aval para até 210 mil metros cúbicos/dia.

Por Luciano Costa; Edição de Maria Pia Palermo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up