for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Contra cortes na Agricultura, ministra diz que vai "brigar" até último momento

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, durante evento de lançamento do Plano Safra 2020/2021 em Brasilia. 17 de Junho de 2020. REUTERS/Adriano Machado

SÃO PAULO (Reuters) - Um corte de verbas avaliado dentro do governo do presidente Jair Bolsonaro, que pode atingir o Ministério da Agricultura, deixou descontente a ministra Tereza Cristina, que disse nesta quinta-feira que vai “brigar até o último momento” contra reduções no orçamento para pesquisas da Embrapa e regularização fundiária.

“Já estou trabalhando, não estou feliz com isso também”, disse a ministra em evento online promovido pelo jornal O Estado de S.Paulo, ao ser confrontada com informação sobre os cortes de recursos, que poderão atingir também áreas como Educação, para impulsionar o programa de obras Pró-Brasil.

“Vamos brigar até o último momento (contra o corte), sou pequenininha, sou velhinha, mas eu brigo duro”, declarou, bem humorada.

Ela disse que o país precisa “priorizar e melhorar a qualidade dos gastos” e que “não é justo tirar dinheiro da agricultura”.

Antes de completar o raciocínio, ela ponderou que gostaria de saber se o programa de obras poderá beneficiar o seu setor, por meio de melhorias na infraestrutura de escoamento de safras.

“Estamos discutindo isso dentro do governo e também colocando isso aos senadores e deputados que apoiam o agronegócio, porque a Embrapa não pode ficar sem recursos... pesquisa e regularização fundiária, que é um dos temas que o governo está colocando como prioridade, precisamos de recurso para dar continuidade a esses programas”, afirmou.

Por Roberto Samora

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up