for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Preços na zona do euro recuam em setembro e aumenta pressão sobre BCE

Mercado em Nice, França. REUTERS/Eric Gaillard/File Photo

BRUXELAS/FRANKFURT (Reuters) - Os preços ao consumidor na zona do euro aceleraram em setembro, aumentando a pressão sobre o Banco Central Europeu para ampliar o estímulo já que a recessão vai manter a alta dos preços abaixo da meta por anos.

O índice de preços nos 19 países que usam o euro caiu 0,3% em setembro na base anual, mínima em mais de quatro anos, de queda de 0,2% no mês anterior, de acordo com dados divulgados pela Eurostat nesta sexta-feira.

A expectativa em pesquisa da Reuters era de recuo de 0,2% novamente.

O núcleo da inflação, que exclui os custos voláteis de alimentos e energia, caiu a 0,4% de 0,6%, longe da meta do BCE de quase 2%. A inflação de serviços desacelerou mais e o custo de produtos industriais importados caíram.

Embora o BCE tenha adotado medidas de estímulo sem precedentes neste ano para combater o choque econômico da pandemia, o aumento do desemprego e da poupança, as restrições sobre viagens e a queda do investimento empresarial pesaram sobre os preços.

Reportagem de Philip Blenkinsop e Balazs Koranyi

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up