for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Índice de preços globais de alimentos sobe 5% em setembro ante 2019, diz FAO

Logo da FAO na sede da agência, em Roma, Itália 31/08/2005 REUTERS/Alessandro Bianchi

ROMA (Reuters) - Os preços globais dos alimentos subiram pelo quarto mês consecutivo em setembro, impulsionados por firmes altas nos valores dos cereais e óleos vegetais, disse nesta quinta-feira a agência para alimentação das Nações Unidas.

O índice de preços da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês), que apura variações mensais em uma cesta de cereais, oleaginosas, laticínios, carne e açúcar, atingiu média de 97,9 pontos no mês passado, ante o nível revisado de 95,9 pontos em agosto.

Anteriormente, o indicador para agosto era de 96,1 pontos.

A FAO, que possui sede em Roma, também disse em comunicado que as safras de cereais do mundo seguem caminhando para um recorde anual em 2020, embora tenha reduzido levemente sua projeção para as colheitas.

Em setembro, o índice de preços de cereais da agência avançou 5,1% ante o mês anterior e 13,6% em comparação anual.

“As cotações mais elevadas do trigo puxaram o aumento, impulsionado pela atividade comercial acelerada em meio a preocupações com as perspectivas de produção no Hemisfério Sul, bem como com as condições de seca que afetam os plantios de trigo de inverno na Europa”, disse a FAO.

O índice de preços de óleos vegetais avançou 6,0% na comparação mensal, majoritariamente em função das altas nas cotações dos óleos de palma, girassol e soja, atingindo uma máxima de oito meses.

O índice de laticínios permaneceu praticamente estável no último mês, enquanto os preços médios do açúcar caíram 2,6% ante agosto. O índice das carnes apurou queda de 0,9% em relação a agosto, e registra recuo de 9,4% no ano a ano.

Reportagem de Crispian Balmer

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up