for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Exportação de carne suína do Brasil sobe 33% em setembro; no ano, já supera 2019 completo

Criação de porcos em Carambeí (PR) 06/09/2018 REUTERS/Rodolfo Buhrer

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de carne suína do Brasil avançaram 33% em setembro ante igual período do ano anterior, totalizando 86,5 mil toneladas dos produtos in natura e processados, informou nesta quinta-feira a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Com o resultado, os embarques dos nove primeiros meses de 2020 já superam todo o acumulado de 2019 --foram 764,9 mil toneladas exportadas entre janeiro e setembro deste ano, contra 750 mil toneladas no ano passado completo.

A ABPA destacou que os resultados são guiados pelas fortes exportações ao mercado asiático. Apenas a China, principal cliente do Brasil, já importou 376,7 mil toneladas neste ano, alta de 133%. O volume não inclui os embarques para Hong Kong, que totalizam 131,6 mil toneladas no período, avanço de 14%.

“Temos boas expectativas quanto à manutenção deste ritmo ao longo dos próximos meses. Os indicativos fortalecem as previsões da ABPA de alcançarmos número próximo de 1 milhão de toneladas exportadas em 2020”, disse em nota o presidente da entidade, Ricardo Santin.

Em receitas, as exportações geraram 188,5 milhões de dólares em setembro, cifra 34% maior que a de mesmo mês do ano passado. Já no acumulado do ano, os resultados parciais de 2020 também superam os de 2019 inteiro --são 1,677 bilhão de dólares neste ano, contra 1,597 bilhão de dólares em todo o ano anterior.

Por Gabriel Araujo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up