for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

USDA mantém projeções para safra e exportação de soja do Brasil em 2020/21

Equipamentos trabalham na colheita de soja em Cuiabá, no Mato Grosso. 27 de março de 2012. REUTERS/Paulo Whitaker.

(Reuters) - Com o plantio atrasado em função da seca, o Brasil deve ter produção de soja de 133 milhões de toneladas em 2020/21, projetou nesta sexta-feira o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês), que manteve as estimativas estáveis em relação ao levantamento divulgado em setembro.

O órgão norte-americano também deixou inalteradas as projeções para a exportação da oleaginosa do Brasil, em 85 milhões de toneladas para 2020/21.

Na ponta da demanda, o USDA elevou em 1 milhão de toneladas a estimativa de importação de soja da China, maior comprador da commodity no mundo, para 100 milhões de toneladas em 2020/21.

O USDA também indicou uma redução nos estoques globais da temporada, de 93,59 milhões de toneladas vistos em setembro para 88,7 milhões na análise de outubro.

Na mesma linha da soja, a safra brasileira de milho foi estimada em 110 milhões de toneladas para 2020/21, estável em relação ao levantamento de setembro.

Por Nayara Figueiredo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up