for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Importação de petróleo pela China cresce em setembro após alívio de congestionamento em portos

Navio-tanque descarrega petróleo no porto de Zhoushan, China 04/07/2018 REUTERS/Stringer

PEQUIM (Reuters) - As importações de petróleo bruto pela China aumentaram 2,1% em setembro em relação ao mês anterior, já que algumas cargas atrasadas finalmente foram liberadas da alfândega após a diminuição de congestionamentos em portos, enquanto a capacidade de armazenamento em terra foi expandida.

A China, maior importador mundial de petróleo bruto, importou 48,48 milhões de toneladas de petróleo no mês passado, segundo dados da Administração Geral das Alfândegas nesta terça-feira, o equivalente a 11,8 milhões de barris por dia (bpd).

O volume é superior aos 11,18 milhões de bpd em agosto e aos 10,04 milhões de bpd de setembro do ano passado, mas ainda ficou abaixo do nível recorde de 12,94 milhões de bpd importado em junho.

Nos primeiros três trimestres de 2020, a China importou um total de 416 milhões de toneladas de petróleo bruto, segundo os dados, ou cerca de 11,08 milhões de bpd, um aumento de 12,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

Instalações de armazenamento com estoques de petróleo bruto nos principais portos chineses ficaram quase cheias em julho e agosto, após compras de barganha em meio a um colapso dos preços do petróleo em abril devido à pandemia do coronavírus.

Mas com a demanda de combustível da China já tendo atingido o pico com a recuperação dos preços globais do petróleo, as refinarias estão lutando com um aumento dos estoques de produtos refinados e margens de refino fracas.

“Em contraste com o forte crescimento das importações no segundo e terceiro trimestres, a expansão das importações da China deve perder força no quarto trimestre devido aos estoques de petróleo historicamente altos e à maior base de importações registrada no quarto trimestre do ano passado”, disse Seng Yick Tee, diretor da consultoria SIA Energy.

Os dados alfandegários também mostraram as exportações de produtos refinados de petróleo da China em setembro em 3,95 milhões de toneladas, abaixo dos 4,27 milhões de toneladas em agosto.

As importações de gás natural em setembro, tanto gás natural canalizado quanto liquefeito (GNL), foram de 8,66 milhões de toneladas, um aumento de 5,5% em relação ao ano anterior.

Reportagem de Muyu Xu em Pequim e Chen Aizhu em Cingapura

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up