for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Futuros do milho na China tocam nível recorde com preocupações sobre oferta

PEQUIM (Reuters) - Os futuros de milho na China bateram um novo recorde nesta quarta-feira, com investidores apostando em preços mais altos para o grão por causa de danos à safra causados por tufões este ano e devido aos esforços de Pequim em anos anteriores para reduzir suas gigantescas reservas estatais.

Trabalhador movimenta estoques de milho em Linfen, China 21/10/2019 REUTERS/Stringer

Os futuros de milho mais negociados na bolsa de Dalian, para entrega em janeiro, atingiram 2.566 iuanes (380,70 dólares) por tonelada, o maior valor já registrado.

A produção de milho da China deve cair este ano depois que os tufões destruíram a safra em algumas partes do cinturão do milho no nordeste do país, aumentando ainda mais as preocupações com a oferta depois que Pequim cortou seus enormes estoques estatais nos últimos anos.

A área plantada com milho em algumas regiões da província de Heilongjiang também caiu à medida que os agricultores mudaram para a soja, enquanto a produção das províncias de Liaoning e Jilin deve cair devido à seca, disse Meng Jinhui, analista sênior da Shengda Futures.

“O estoque foi vendido. O mercado espera fortemente que haja escassez de oferta e está ficando altista (nos futuros)”, disse Meng.

Neste momento, há uma verdadeira disputa entre compradores por milho, disse Yuan, gerente de uma operação de secagem de grãos em Heilongjiang, o maior produtor de milho do país, onde suprimentos da nova safra recém-colhida começaram a entrar no mercado.

“Muitas pessoas acreditam que os preços vão subir ainda mais”, disse Yuan, que se dispôs a ser identificado apenas pelo sobrenome devido à delicadeza do assunto.

Os preços também subiram em outros importantes pólos de milho, incluindo as províncias de Shandong, Hebei e Henan, disseram analistas e traders.

Os preços de compra da nova safra estão pelo menos 30% mais altos do que nos últimos anos, de acordo com o agricultor Song Yongquan, que administra uma cooperativa que cultiva cerca de 67 hectares de milho em Henan.

“Os preços vão gradualmente subir ainda mais”, afirmou ele.

Reportagem de Hallie Gu e Shivani Singh; Edição de Tom Hogue

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up