for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Wall St avança com esperanças de vacina e dados positivos de varejo

30 de setembro de 2008. REUTERS/Lucas Jackson

(Reuters) - Wall Street se recuperava nesta sexta-feira após três dias consecutivos de perdas, depois de Pfizer dizer que poderia solicitar o uso emergencial de sua candidata a vacina contra a Covid-19 já em novembro, enquanto dados mostraram crescimento mais forte do que o esperado nas vendas no varejo no mês passado.

As ações da farmacêutica avançavam 1,4%. A empresa espera poder fornecer dados de segurança e solicitar a autorização para a vacina que está desenvolvendo com o laboratório alemão Biontech assim que um marco de segurança for alcançado na terceira semana de novembro.

As ações da BioNTech listadas nos EUA saltavam 2,8%.

Enquanto isso, “em meio a um mercado de trabalho estagnado, o salto nas vendas no varejo deste mês sugere que a força do consumidor segue bastante robusta”, disse Mike Loewengart, diretor-gerente de estratégia de investimento da E*TRADE Financial.

Os dados mais recentes mostraram que as vendas no varejo dos EUA avançaram mais do que o esperado em setembro, embora a recuperação diante da recessão esteja presa numa encruzilhada à medida que o dinheiro do governo se esgota e novas infecções por Covid-19 sobem em todo o país.

Às 12:27 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,76%, a 28.711 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 0,609473%, a 3.505 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançava 0,05%, a 11.719 pontos.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up