for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Evans, do Fed, vê menos impacto econômico de nova onda de infecções por coronavírus

O presidente do Fed de Chicago, Charles Evans. 27/02/2020. REUTERS/Edgard Garrido.

(Reuters) - O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) de Chicago, Charles Evans, afirmou nesta terça-feira não achar que a nova onda de infecções pela Covid-19 afetará a economia tanto quanto ele poderia ter estimado no início da pandemia e que continua “razoavelmente otimista” de que o desemprego recuará para 5,5% até o fim do próximo ano.

“De certa forma, eu dou menos importância às consequências econômicas adversas de uma segunda ou terceira onda com base na experiência que temos visto --então (uma nova onda) teria que ser ainda pior do que temos visto”, disse Evans a repórteres após um discurso ao Clube Econômico de Detroit.

“Parece que estamos conseguindo superar isso, não importa o quão adversas e terríveis sejam essas consequências para as famílias, famílias em todo o país.”

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up