for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Exportação de suco de laranja do Brasil cai 26% no 1º tri de 2020/21, diz CitrusBR

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações brasileiras de suco de laranja recuaram 26% no primeiro trimestre da safra 2020/21, iniciada em julho, para 223.682 toneladas, pressionadas pelo ciclo de baixa nas lavouras da fruta aliado ao elevado nível de estoques da bebida no exterior, informou a associação do setor CitrusBR nesta quinta-feira.

Produtor em pomar. REUTERS/Manaure Quintero

Em anos de safras menores, os embarques do suco (FCOJ Equivalente a 66º Brix) sazonalmente são mais baixos quando comparados aos de temporadas “cheias”, disse o diretor executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto.

A safra de 2019/20, cujo ciclo era de alta, deu origem a uma produção de 1,2 milhão de toneladas de suco, 37,4% acima do período anterior.

Segundo Netto, com um grande nível de produção foi possível recompor os estoques que estavam bastante baixos neste mesmo período do ano passado.

A recomposição das reservas exigiu uma movimentação maior de suco do Brasil para o exterior “e isso explica o porquê de esse ano os embarques estarem tão abaixo”, afirmou, ressaltando que o bom desempenho do primeiro trimestre de 2019/20 fez com que a base comparativa para a safra atual ficasse elevada.

Após o processamento da safra 2019/20, 36% maior que anterior e meses de ritmo forte de embarques, os estoques foram recompostos a 471.138 toneladas em 30 de junho de 2020.

Em 30 de junho de 2019 os estoques globais de suco de laranja em poder das empresas associadas à CitrusBR eram de 253.181 toneladas, conforme dados da entidade.

“Isso não significa que as exportações serão menores nesta temporada (completa), mas indica, por enquanto, uma necessidade menor de se transferir produto para os pontos de venda mundo afora”, afirmou Netto em nota.

Para 2020/21, a safra de laranja do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste de Minas Gerais, principal região produtora para a indústria exportadora de suco do país, deve cair 25,87%.

A produção foi estimada em 286,72 milhões de caixas de 40,8 kg, o que representa uma das quebras mais severas de safra dos últimos dez anos, de acordo com o instituto.

Com o recuo nos embarques do primeiro trimestre, o faturamento das exportações de suco de laranja somou 316,7 milhões de dólares, ante as 528,2 milhões de dólares registrados um ano antes.

COMPRADORES

Principal destino de exportação, a Europa representou 140.693 toneladas dos embarques do trimestre, uma redução de 17,6% no comparativo anual. Em faturamento, foram registrados 196,9 milhões de dólares, valor 51,6% menor.

Para os Estados Unidos, entretanto, foram embarcadas 42.509 toneladas de suco de laranja, 15,7% acima das 36.740 toneladas contabilizadas no mesmo período da safra anterior.

A receita com embarques para os EUA, porém, caiu 8,8%, para 52,8 milhões de dólares.

Na Ásia, as compras do Japão subiram 61,7% para 21.997 toneladas, enquanto as da China baixaram 5,8%, a 9.392 toneladas.

Por Nayara Figueiredo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up