for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Argentina "manterá ritmo lento de desvalorização da moeda", diz ministro da Economia

Martín Guzmán, ministro da Economia da Argentina, antes de participar de entrevista coletiva em Buenos Aires 31/08/2020 Juan Mabromata/Pool via REUTERS

BUENOS AIRES (Reuters) - O ministro da Economia da Argentina, Martín Guzmán, prometeu nesta sexta-feira manter um ritmo lento de desvalorização da moeda local, apesar do aumento da pressão sobre o peso e da redução das reservas estrangeiras.

A Argentina teve um “sério problema” com seu déficit fiscal por causa da pandemia de coronavírus, mas a economia real está dando “sinais de recuperação” e a desvalorização do peso não refletiu a verdadeira condição da macroeconomia do país, disse Guzmán em entrevista à Radio con Vos.

Ele reconheceu que as expectativas de desvalorização da moeda prejudicam a economia, mas disse que a estabilização do câmbio não pode ser alcançada “de um dia para o outro”.

O banco central da Argentina informou no início deste mês que permitiria uma flutuação controlada do peso e abandonaria sua atual estratégia de “desvalorização diária uniforme” conforme busca adaptar sua política monetária em meio a turbulências econômicas cada vez mais intensas.

A diferença entre a taxa de câmbio oficial e a cotada nos mercados informais da Argentina chegou a 143% na quinta-feira, devido à desconfiança dos investidores e à forte demanda por dólares no mercado paralelo.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up