for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Petrobras antecipa Itapu e terá novo plano para Tupi; compra P-71 por US$353 mi

20/02/2018. REUTERS/Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras informou nesta terça-feira que acertou a compra da plataforma P-71, em fase final de construção no Espírito Santo, por 353 milhões de dólares, o que permitirá a antecipação em cerca de um ano do primeiro óleo do campo de Itapu.

A decisão foi tomada após o leilão do excedente da cessão onerosa ocorrido em novembro de 2019, quando os direitos de produção do campo de Itapu passaram a ser detidos integralmente pela Petrobras.

A plataforma estava originalmente programada para o campo de Tupi, que terá um novo plano de desenvolvimento acertado com os sócios no empreendimento, a Shell (25% de participação) e a Petrogal (10%).

Em razão da nova alocação da P-71, a licitação de afretamento da plataforma que atenderia ao projeto de Itapu será cancelada.

“Com o compromisso de venda da P-71, sujeito às mencionadas condições precedentes, os sócios do Consórcio BM-S-11 no Brasil acordaram em elaborar um novo PD para Tupi, a ser entregue para a ANP em 2021”, acrescentou a Petrobras.

Segundo a petroleira, tal iniciativa busca implantar projetos complementares de desenvolvimento de produção resilientes a baixos preços de petróleo, permitindo aumentar ainda mais o fator de recuperação do campo de Tupi, que é atualmente o maior produtor mundial em águas profundas e cuja produção acumulada já ultrapassou 2 bilhões de boe barris de óleo equivalente (boe).

“A aquisição da P-71 e as ações para elaboração de um novo PD para Tupi estão aderentes à estratégia da companhia de concentrar suas atividades em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra profundas”, concluiu a estatal.

Por Roberto Samora

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up