for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Venda de diesel no Brasil tem maior volume mensal do ano em setembro; gasolina avança

Caminhão-tanque em posto de combustíveis no Rio de Janeiro (RJ) 14/06/2004 REUTERS/Sergio Moraes

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas de diesel e gasolina pelas distribuidoras de combustíveis do Brasil avançaram em setembro na comparação com mesmo mês do ano anterior, de acordo com dados publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que sugerem uma retomada em meio à flexibilização das medidas de isolamento pela pandemia de coronavírus no país.

De acordo com os números da ANP, a comercialização de diesel atingiu 5,24 bilhões de litros no mês, alta de 7% frente a setembro de 2019 e maior resultado mensal desde outubro do ano passado. Na comparação com o mês imediatamente anterior, a cifra apura alta de 1,4%.

Já as vendas de gasolina comum somaram 3,13 bilhões de litros em setembro, avanço de 1,2% no ano a ano e de 6,6% na comparação com agosto. Além disso, é o resultado mensal mais expressivo desde janeiro.

Apesar da indicação de retomada no consumo, no acumulado do ano a comercialização de ambos os combustíveis fósseis ainda fica abaixo dos números registrados em 2019, após o forte impacto causado pela pandemia de Covid-19. As vendas de diesel, segundo a ANP, acumularam queda de 1,0% nos nove primeiros meses do ano, enquanto as de gasolina registraram baixa de 9,1%.

No ápice das medidas restritivas, em maio, a variação no acumulado do ano frente a 2019 chegou a atingir queda de 3,3% para o diesel e 11,6% para a gasolina.

Em relação ao etanol, as vendas por distribuidoras no Brasil totalizaram 1,7 bilhão de litros em setembro, queda de 9,2% na comparação anual, mas avanço de 8,3% ante agosto e melhor resultado mensal desde fevereiro.

No acumulado de 2020, o volume comercializado de etanol fica 16% abaixo do registrado nos nove primeiros meses do ano passado. Apesar disso, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) destacou em nota que o dado configura a segunda maior demanda de etanol hidratado na série histórica para o período de janeiro a setembro.

“No mês de setembro de 2020 houve um importante movimento de recuperação no consumo de combustíveis no Brasil... Esse cenário é ainda mais significativo pois todos os Estados apresentaram crescimento nas vendas de (etanol) hidratado e gasolina em setembro na comparação com o volume comercializado de março a agosto de 2020”, disse a Unica em comunicado.

Por Gabriel Araujo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up