for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Lucro da TIM cai 21% no 3º tri, mas receita e Ebitda crescem

SÃO PAULO (Reuters) - A operadora de telecomunicações TIM teve queda no lucro do terceiro trimestre, refletindo questões tributárias, mas o resultado operacional da companhia reagiu com a gradual flexibilização do isolamento social imposto devido à Covid-19.

A companhia anunciou nesta terça-feira que seu lucro líquido ‘normalizado’ de julho a setembro somou 390 milhões de reais, queda de 20,9% ano a ano. Em igual período de 2019, a TIM havia tido benefício fiscal devido ao pagamento de juro sobre o capital próprio.

O resultado operacional da empresa medido pelo lucro antes de impostos, juros, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) somou 2,07 bilhões de reais, alta de 0,8% ano a ano e quase em linha com as previsões de analistas ouvidos pela Refinitiv, de 2,05 bilhões de reais.

A TIM fechou setembro com base móvel de 51,16 milhões de clientes, queda de 6,2% em 12 meses, uma vez que seguiu ‘limpando a base’, ao se concentrar em clientes mais rentáveis.

No trimestre, a receita líquida da TIM cresce 1,2%, para 4,387 bilhões de reais.

Além de um rígido controle de despesas, a companhia também reduziu seu investimento (capex) do período em 8%, para 850 milhões de reais, após reavaliação de projetos.

Segundo a TIM, com o período de isolamento social, percebeu uma mudança no perfil de uso da rede móvel.

“Com isso o Capex na rede móvel foi reavaliado, enquanto os investimentos em fibra ótica estão mantidos devido à alta da demanda por banda-larga”.

Por Alberto Alerigi Jr. e Aluísio Alves

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up