for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

BC da China diz que não vai se precipitar com mudanças na política monetária

Sede do BC da China. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

PEQUIM (Reuters) - O banco central da China vai avaliar mudanças na política monetária conforme a economia se recupera, mas não fará movimentos precipitados e qualquer mudança será baseada em avaliações econômicas precisas, disse nesta sexta-feira um vice-presidente do Banco do Povo da China.

Liu Guoqiang afirmou que a recuperação econômica da China está sólida devido ao efetivo controle do coronavírus pelo país e medidas para sustentar o crescimento.

“Devemos também avaliar o próximo passo de política monetária. Os ajustes devem ser baseados em avaliações precisas da situação econômica e não podemos fazer movimentos precipitados”, disse Liu em entrevista.

Para sustentar a economia, as instituições financeiras da China abriram mão de até 1,25 trilhão de iuanes (188,65 bilhões de dólares) em lucros entre janeiro e outubro --ao reduzir taxas de juros e tarifas -- e caminham para chegar a uma meta esperada de 1,5 trilhão de iuanes este ano, disse Liu.

Sun Guofeng, diretor de política monetária do banco central, afirmou na mesma entrevista que a taxa de juros atual da China é apropriada e que a política monetária será mais flexível.

O Banco do Povo da China adotou medidas desde fevereiro, incluindo cortes nas taxas de empréstimo, no compulsório de bancos e suporte direcionado para empresas afetadas pelo vírus como empréstimos baratos.

Reportagem de Kevin Yao e Lusha Zhang

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up