for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Anec vê novo recorde para exportação de soja do Brasil em 2020

Carregamento de soja. REUTERS/Jose Roberto Gomes

SÃO PAULO (Reuters) - A exportação de soja do Brasil foi estimada nesta sexta-feira em até 84 milhões de toneladas em 2020, o que seria um novo recorde anual de acordo com avaliação da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) repassada à Reuters.

“Novembro e dezembro são tradicionalmente meses de baixa nos embarques de soja. Mesmo com volumes menores, é possível que o Brasil iguale ou bata o recorde de 2018, exportando um total entre 83 e 84 milhões de toneladas, mostrando a força e competência do agro brasileiro”, disse presidente do Comitê de Contratos Anec, Marcos Amorim, por meio da assessoria de imprensa.

As exportações projetadas pela Anec entre janeiro e novembro estão em 82 milhões de toneladas, considerando a programação de navios. Esse volume era o mesmo da previsão anterior da associação para o ano completo de 2020.

A previsão da Anec significa que, na melhor das hipóteses, o país poderia exportar cerca de 2 milhões de toneladas em dezembro, apesar de uma escassez no mercado, que tem levado o país a importar produto do seu rival no mercado internacional, os Estados Unidos.

O recorde anterior das exportações de soja, segundo a Anec, foi registrado em 2018, quando o Brasil exportou 82,9 milhões de toneladas. Em 2019, o maior produtor e exportador global de soja embarcou 72,5 milhões de toneladas.

A Anec informou ainda que a exportação de milho do Brasil, tradicionalmente o segundo exportador global do cereal, deve alcançar entre 31 milhões e 33 milhões de toneladas em 2020, estável ante previsão anterior, e abaixo do recorde de cerca de 41 milhões de 2019.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up