for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Brasil exporta 4,1 mi sacas de café em outubro, recorde para o mês, diz Cecafé

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil exportou 4,1 milhões de sacas de café em outubro, considerando a soma de grãos verdes e do produto solúvel e torrado & moído, um aumento de 11,5% em relação ao mesmo período do ano passado e também um novo recorde para o mês, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil) nesta quarta-feira.

Sacas de café para exportação em Santos (SP) 10/12/2015 REUTERS/Paulo Whitaker

O volume de café verde exportado respondeu por 3,8 milhões de sacas, alta de 14,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado, com o Brasil embargando grandes volumes após a chegada de uma grande colheita ao mercado. O dado do Cecafé confirma volume apontado mais cedo no mês pelo governo.

“Com embarques acima de 4 milhões de sacas, pelo segundo mês consecutivo, o país obteve um desempenho histórico inédito que culminou no melhor resultado no 5º bimestre, com o volume acumulado no período (setembro/outubro) de 8,3 milhões de sacas”, disse o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

O total de outubro foi o segundo maior embarque mensal deste ano, perdendo apenas para setembro (4,17 milhões de sacas).

Segundo ele, as expectativas são da manutenção desses volumes nos próximos dois meses.

Em outubro, a receita cambial gerada pelos embarques foi de 509,6 milhões de dólares, aumento de 8,5% em relação a outubro do ano passado. Na conversão para a moeda brasileira, o valor atingiu 2,9 bilhões de reais, a maior receita dos últimos cinco anos, com crescimento de 49,4% em relação ao mesmo mês de 2019.

Já o preço médio da saca de café no mês foi de 124,52 dólares por saca, queda de 2,7% na comparação anual.

Com relação as variedades embarcadas no mês, o café arábica representou 81,4% do volume total exportado, equivalente a 3,3 milhões de sacas. O café conilon (robusta) atingiu a participação de 11,5%, com o embarque de 471,8 mil sacas, e o café solúvel representou 7,1% das exportações, com 288,4 mil sacas exportadas.

Entre as variedades, o café arábica se destacou pelo aumento de 12,4% nas vendas em comparação a outubro de 2019 e o conilon apresentou crescimento de 31,4%.

O resultado confirma a tendência de expansão do “market share” do Brasil, observou o Cecafé, ressaltando a capacidade do país em suprir cafés arábicas certificados junto à bolsa de Nova York.

Ele disse ainda que questões de logística, como falta de contêineres no porto e espaço nas embarcações, estão se normalizando aos poucos.

Por Roberto Samora

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up