for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Concessões da CCR têm nova máxima semanal de tráfego desde início da pandemia

Funcionários atendem caminhoneiro no trecho de Guararema (SP) da Via Dutra, de concessão da CCR 22/04/2020 REUTERS/Rahel Patrasso

SÃO PAULO (Reuters) - Concessões de rodovias, aeroportos e de mobilidade urbana sob administração da CCR tiveram nova máxima semanal de tráfego desde o início da pandemia da Covid-19, em março, informou a companhia nesta sexta-feira.

Segundo a concessionária, o tráfego de veículos em estradas sob sua concessão entre 6 e 12 de novembro foi 2,3% maior do que em igual período de 2019, em bases comparáveis. A CCR administra o Sistema Anhanguera/Bandeirantes, que liga a capital paulista ao interior do Estado, e a Via Dutra, principal ligação terrestre entre Rio de Janeiro e São Paulo.

As informações vêm na esteira da flexibilização das medidas de isolamento social tomadas desde em março para conter a pandemia, uma vez que os dados de infecções, internações e de mortes provocadas pela doença têm diminuindo no país.

No acumulado do ano até 29 de outubro, porém, o movimento nas rodovias administradas pela CCR ainda foi 8,5% menor.

No caso dos aeroportos geridos pela empresa, incluindo os terminais de Confins (MG) e Viracopos (SP), o movimento na semana foi 59% mais baixo do que em igual período de 2019, embora também tenha sido a menor queda no comparativo anual desde o começo da pandemia.

Em mobilidade social, o movimento na semana encerrada na véspera foi 48% mais baixo do que um ano antes, a menor queda desde meados de março. A CCR administra linhas de metrô em São Paulo e em Salvador (BA), além do VLT, no Rio de Janeiro.

Por Aluísio Alves

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up