for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Opep+ começa reuniões para avaliar novas medidas de apoio ao mercado de petróleo

28/09/2016. REUTERS/Ramzi Boudina

LONDRES (Reuters) - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados começaram nesta segunda-feira reuniões que avaliarão possíveis ações adicionais para apoiar o mercado de petróleo em 2021, uma vez que a segunda onda do coronavírus tem pesado sobre a demanda e os preços.

A Opep e seus aliados liderados pela Rússia, um grupo conhecido como Opep+, deveriam aumentar a produção em 2 milhões de barris por dia em janeiro como parte de um gradual alívio em suas restrições recorde de oferta.

Mas, com os preços enfraquecendo, a Opep+ está avaliando postergar o aumento de oferta ou até mesmo ampliar os cortes.

Uma opção que tem ganho apoio entre a Opep+ é manter os atuais cortes de oferta de 7,7 milhões de bpd por mais três ou seis meses, disseram fontes da Opep+, ao invés de reduzir os cortes para 5,7 milhões de bpd a partir de janeiro como atualmente previsto.

“A discussão sobre isso é possível”, disse uma fonte da Opep, citando “fraqueza na demanda e a produção em alta na Líbia”.

Dois comitês da Opep+ terão encontros virtuais nesta semana. O Comitê Técnico Conjunto se reúne nesta segunda-feira, enquanto o Comitê Ministerial de Monitoramento Conjunto, que pode recomendar políticas para a Opep+, se reúne na terça-feira.

A Argélia, que está com a presidência rotativa da Opep, apoia a prorrogação dos cortes atuais, enquanto a Arábia Saudita disse que o acordo da Opep+ poderia ser “ajustado” se necessário.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up