for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Senado dos EUA bloqueia indicação de Trump à diretoria do Fed

Prédio do Federal Reserve Board na Constitution Avenue, em Washington, EUA, 19 de março de 2019. REUTERS/Leah Millis

(Reuters) - O Senado dos Estados Unidos bloqueou nesta terça-feira a confirmação do nome de Judy Shelton, indicada pelo presidente Donald Trump, para a diretoria do Federal Reserve, na mais recente de uma série de nomeações fracassadas para o banco central.

O Partido Republicano de Trump tem uma maioria de 53-47 no atual Senado, mas vários parlamentares estavam ausentes, incluindo dois que estavam em quarentena devido à exposição ao Covid-19. Outros se juntaram aos democratas no voto contra a nomeação.

A votação foi de 47 a 50, com o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, votando “não” para preservar a opção de reconsiderar posteriormente.

Shelton, uma assessora de Trump na campanha presidencial de 2016 que já argumentou que seria melhor que o país retornasse ao padrão-ouro, em 2017 criticou o poder do Fed sobre o dinheiro e os mercados financeiros, que classificou como “bastante prejudicial”. Durante o processo de confirmação do Senado, ela chamou de “extremas” a compra de títulos pelo Fed e as taxas de juros zero praticadas na atual crise.

Suas opiniões sobre as taxas de juros se moveram em sincronia com as de Trump. Ela criticou o dinheiro fácil antes da presidência de Trump, mas apoiou a política depois que ele assumiu o cargo e já expressou ceticismo sobre a necessidade do Fed de definir políticas com independência do presidente e do Congresso.

Outros indicados por Trump ao Fed que não foram confirmados incluem o ex-candidato presidencial republicano Herman Cain, que posteriormente morreu de Covid-19.

Reportagem de Patricia Zengerle e Doina Chiacu

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up