9 de Outubro de 2014 / às 15:33 / em 3 anos

Moagem de cana quinzenal do CS é a menor em 4 safras; açúcar sobe em NY

SÃO PAULO (Reuters) - A moagem de cana-de-açúcar do centro-sul do Brasil atingiu 28,82 milhões de toneladas na segunda quinzena de setembro, o menor volume processado no período na principal região produtora do país nas últimas quatro safras, com as operações sendo afetadas pelo clima, afirmou nesta quinta-feira a Unica, associação que representa as usinas.

O processamento de cana caiu 27,8 por cento ante a quinzena anterior e 15,4 por cento na comparação com o mesmo período da temporada passada, com reflexos na produção de açúcar e etanol.

A safra 2014/15, que vinha sofrendo com a escassez de chuva, agora foi afetada pela umidade que atingiu algumas regiões, o que diminuiu as atividades das usinas, afirmou a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) em nota.

O contrato futuro março do açúcar bruto negociado em Nova York ampliou ganhos para 1,7 por cento após a divulgação dos dados da Unica, atingindo uma máxima de 2 meses de 17,20 centavos de dólar por libra-peso. Por volta das 12h05 (horário de Brasília), o contrato reduzia a alta, subindo 0,6 por cento.

“Essa redução na moagem quinzenal é resultado das chuvas que atingiram importantes regiões canavieiras ao final de setembro, prejudicando a operacionalização da colheita”, explicou o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, em nota.

A associação relatou que as usinas paranaenses registraram perda de aproximadamente sete dias de moagem na segunda metade do mês. Nos Estados do Mato Grosso do Sul e São Paulo, disse a Unica, as unidades produtoras perderam mais de cinco dias.

A menor oferta de matéria-prima para processamento na região que responde por cerca de 90 por cento da safra de cana brasileira, resultante da intensa seca, também afetou o total processado.

A produtividade agrícola diminuiu cerca de 9 por cento nos canaviais colhidos na região centro-sul em setembro comparativamente ao mesmo mês do último ano, segundo dados do Centro de Tecnologia Canavieiro (CTC). No Estado de São Paulo, a quebra mensal supera 15 por cento.

Até o momento, devido à escassez de cana em algumas áreas, dez usinas já encerraram a safra 2014/2015 na região (uma empresa no Espírito Santo, duas em Minas Gerais e sete unidades em São Paulo), enquanto apenas duas tinham finalizado suas operações em igual período de 2013.

AÇÚCAR E ETANOL

Com a queda na moagem, a produção de açúcar somou apenas 1,64 milhão de toneladas na última quinzena de setembro, contra 2,3 milhões de toneladas observadas no mesmo período da safra 2013/2014 (-28,8 por cento). No comparativo com o resultado dos primeiros 15 dias do mês anterior, a retração é ainda mais expressiva, atingindo quase um milhão de toneladas (-34,6 por cento).

Os números quinzenais reforçaram a expectativa de que a produção de açúcar cairá fortemente nos próximos meses, disse a Unica.

Nos últimos 15 dias de setembro, a proporção de matéria-prima direcionada à fabricação de açúcar alcançou 39,2 por cento, o menor percentual registrado para a quinzena dentre as últimas dez safras, diante dos preços relativamente baixos da commodity.

Na quinzena anterior, o mix para o açúcar estava em 44 por cento, enquanto na mesma época de 2013 foi de 46,9 por cento.

Já a produção de etanol totalizou 1,57 bilhão de litros na última metade de setembro, frente a 1,6 bilhão de litros contabilizados na mesma quinzena do ano passado, com usinas priorizando a fabricação do biocombustível em detrimento do açúcar.

Deste volume, 635,1 milhões de litros referem-se ao etanol anidro e 932,3 milhões de litros ao etanol hidratado, que teve alta de 4,68 por cento, figurando novamente como o único produto dentre os derivados da cana a apresentar uma maior produção quinzenal no comparativo com o resultado da safra passada.

ACUMULADO AGORA NEGATIVO

No acumulado da safra 14/15, os dados de moagem da Unica passaram a apresentar queda de 0,24 por cento ante a temporada passada, atingindo 441,5 milhões de toneladas, o equivalente a 81 por cento do que a associação projeta que será processado na atual temporada (545,9 milhões).

Em comparação, as usinas haviam processado 442,6 milhões de toneladas de cana no mesmo período de 2013/14, representando 74 por cento da safra recorde de 597 milhões de toneladas.

A produção de açúcar também passou a cair ante um ano antes (-1 por cento), para 25,1 milhões de toneladas, enquanto a de etanol ainda sustenta aumento, para 19,7 bilhões de litros (+4,2 por cento).

Em toda a safra do centro-sul, a Unica prevê que a produção de etanol atingirá 24 bilhões de litros, 6,14 por cento menos que em 2013/14, enquanto a de açúcar cairá 8,6 por cento, para 31,36 milhões de toneladas, com a região sofrendo efeitos de uma das piores secas da história para o último verão.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below