15 de Outubro de 2014 / às 15:13 / em 3 anos

Cutrale-Safra eleva a US$14 por ação oferta para adquirir Chiquita

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo formado pela produtora brasileira de suco de laranja Cutrale e o banco Safra elevou sua oferta para adquirir a distribuidora de frutas Chiquita, dos Estados Unidos, para 14 dólares por ação em dinheiro, segundo comunicado divulgado pelo Cutrale-Safra nesta quarta-feira.

As empresas, que estão envolvidas numa disputa pelo controle da Chiquita, que negocia também uma fusão com a irlandesa Fyffes, afirmaram que a proposta é “definitiva”.

A oferta da Cutrale-Safra, em dinheiro, é 1 dólar por ação superior à proposta anterior, feita em agosto.

A proposta melhorada avalia a Chiquita em cerca de 658 milhões de dólares, ou o equivalente a 12,4 vezes os lucros anuais antes de juros, impostos, depreciação e amortização, acrescentou o comunicado.

Se a oferta hostil for bem-sucedida, ela transformará os bilionários Joseph Safra e José Luis Cutrale nos reis de produtos de café da manhã, controlando uma parte considerável do comércio mundial de frutas tropicais e aumentando seu poder de negociação com supermercados.

A Chiquita havia concordado em março em realizar uma fusão com a Fyffes para criar o maior fornecedor mundial de banana.

A nova oferta da Cutrale-Safra representa um prêmio de cerca de 40 por cento sobre o preço de 10,06 dólares do fechamento da ação da Chiquita em 8 de agosto. Também é 19 por cento superior ao preço da Chiquita baseado nos termos revisados da negociação com a Fyffes.

A compra da Chiquita pela Cutrale e Safra será financiada com capital próprio, e a J. Safra Sarasin AG planeja fazer um leilão para 7,875 por cento das notas seniores da Chiquita com vencimento em 2021.

“Ao contrário da combinação proposta com Fyffes, a oferta superior de Cutrale-Safra dá aos acionistas da Chiquita completa certeza quanto ao valor de seus investimentos na Chiquita”, acrescentou o comunicado.

As ações da Chiquita saltaram cerca de 4 por cento, para 13,69 dólares em Nova York, ampliando os ganhos acumulados nos últimos três meses para 23 por cento. O papel da Fyffes caiu 3,2 por cento.

Conhecido como um negociador duro para ativos bancários e imobiliários que compra, Joseph Safra, financista brasileiro com origem libanesa, banqueiro mais rico do mundo, tem encontrado dificuldades para convencer o conselho da Chiquita a aceitar a sua oferta associada à Cutrale, disseram à Reuters recentemente integrantes do setor bancário com conhecimento do assunto.

Isso ocorre em parte porque o potencial de redução de custos do negócio não está imediatamente claro para os investidores.

Esforços para obter comentários da Chiquita e da Fyffes não foram bem-sucedidos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below