17 de Outubro de 2014 / às 20:19 / 3 anos atrás

Dólar cai 1,30% ante real com cena externa e eleições

REUTERS/Siphiwe Sibeko (SOUTH AFRICA - Tags: BUSINESS POLITICS)

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar recuou mais de 1 por cento ante o real nesta sexta-feira, depois de subir nas três sessões anteriores, diante do alívio no cenário internacional e à avaliação de que o candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) teria tido desempenho melhor do que Dilma Rousseff (PT) em debate da véspera.

A moeda norte-americana caiu 1,30 por cento, a 2,4325 reais na venda, após acumular alta de 3 por cento nos três pregões anteriores. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 950 milhões de dólares.

Nesta semana, a divisa acumulou alta de 0,37 por cento e, segundo analistas, a pressão externa não deve acabar tão cedo. Além disso, a volatilidade eleitoral deve continuar sendo a regra na próxima semana.

“Isso é um cessar-fogo, não é o fim de todos os problemas”, afirmou o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

Ao fim de uma semana marcada por profunda aversão ao risco, o dólar enfraquecia em relação a diversas moedas, como os pesos chileno e mexicano. Segundo analistas, a correção foi desencadeada por uma série de boas notícias e que reduziram o pessimismo com a economia global, como dados econômicos dos Estados Unidos na véspera.

Nesta sessão, a alta do início de construção de moradias nos Estados Unidos alimentou o tom positivo.

“Tivemos um exagero no pessimismo nos últimos dias que está sendo corrigido hoje, tanto aqui quanto lá fora”, afirmou o analista da Brasif Gestão André Santoro.

Operadores afirmaram que o movimento foi mais intenso aqui do que lá fora porque a aproximação do segundo turno das eleições presidenciais, que ocorre em pouco mais de uma semana, tende a acentuar as oscilações do câmbio.

Investidores também repercutiam o debate presidencial da véspera. A discussão entre Dilma e Aécio, preferido pelos mercados por prometer uma política econômica mais ortodoxa, foi a mais agressiva da campanha, com ataques generalizados de ambos os lados.

De maneira geral, operadores consideraram o desempenho do tucano melhor que o de Dilma. Segundo o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira, isso pode não se traduzir em um número expressivo de votos, mas numa disputa acirrada, “todo voto conta”.

Nas últimas pesquisas Datafolha e Ibope, os dois candidatos apareciam em empate técnico nas intenções de voto. Outros levantamentos são esperados para os próximos dias.

Nesta manhã, o Banco Central vendeu a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, pelas atuações diárias. Foram vendidos 2,5 mil contratos para 1º de junho e 1,5 mil para 1º de setembro de 2015, com volume correspondente a 197,6 milhões de dólares.

O BC também vendeu a oferta total de até 8 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em 3 de novembro. Ao todo, a autoridade monetária já rolou cerca de 58 por cento do lote total, equivalente a 8,84 bilhões de dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below