8 de Julho de 2015 / às 16:49 / 2 anos atrás

Vale cai e pressiona Bovespa após minério de ferro bater mínima em 10 anos

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa recuava nesta quarta-feira, pressionado particularmente pela queda das ações da mineradora Vale, após o preço do minério de ferro na China despencar mais de 10 por cento.

Às 12h38, O Ibovespa caía 0,63 por cento, a 52.016 pontos. O volume financeiro somava 2,15 bilhões de reais.

No aguardo de alguma definição sobre a Grécia, agentes financeiros voltavam o foco para a China, após as bolsas chinesas apresentaram nova queda expressiva, dando continuidade a um movimento acentuado que já dura cerca de duas semanas.

As perdas nas bolsas na China ocorrem mesmo após o governo de Pequim adotar medidas para frear a venda generalizada de papéis.

Em relatório nesta semana, o Bank of America Merrill Lynch destacou que o maior dano causado pela queda livre dos papéis chineses tem sido na fé dos investidores em relação à capacidade do governo de administrar preços de ativos razoavelmente bem.

"O efeito cascata da correção no mercado ainda está por vir", disse o BofA ML, acrescentando que vê um crescimento mais lento da economia chinesa, lucros menores das empresas e um maior risco de uma crise financeira.

Na Europa, o governo grego enviou formalmente um pedido de empréstimo de três anos do fundo de resgate do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM, na sigla em inglês).

DESTAQUES

=VALE recuava com força, com os papéis ordinários recuando quase 4 por cento e os preferenciais 3,3 por cento, repercutindo o tombo de 11 por cento dos preços do minério de ferro no mercado à vista da China, para o menor nível em 10 anos. O BTG Pactual disse que o movimento da sessão pode estar dentro de um movimento excessivo, mas avalia ser prematuro considerar o preço um piso. "A realidade é que tem muita oferta a caminho da China, e a tendência de estoques de minério nos portos já virou", disse em nota a clientes, reiterando cautela para mineradoras.

=PETROBRAS firmava-se no vermelho, com as preferenciais cedendo 1,8 por cento, após terem subido 1,78 por cento mais cedo, tendo como pano de fundo a fraqueza dos preços do petróleo no exterior. O Senado pode votar nesta quarta-feira o projeto que retira participação obrigatória da companhia no pré-sal, tema que tem ocupado o foco.

=EMBRAER avançava 3,12 por cento, tendo como suporte nota do Credit Suisse a clientes afirmando que o resultado do segundo trimestre pode surpreender positivamente. Com base em dados do governo e apuração própria, os analistas Bruno Savaris e Felipe Vinagre estimam que a Embraer entregou 13 jatos regionais (e-jets) em junho, "mês bastante forte". No segundo trimestre, a companhia teria entregue 27 jatos, acima das estimativas dos analistas de 19 aeronaves. O Credit Suisse avalia que o mix das entregas deve ter sido melhor e destacou desconto menor do que a média histórica em uma das entregas.

=KROTON subia 0,88 por cento, na contramão do viés negativo do setor de educação na Bovespa, após o Conselho de Administração aprovar recompra de até 54 milhões de ações, equivalentes a 4 por cento das ações ordinárias em circulação, segundo fato relevante.

=GRUPO PÃO DE AÇÚCAR tinha queda de 2,81 por cento. Além de perspectivas negativas relacionadas a fundamentos que vêm afetando o papel nos últimos meses, agentes financeiros ainda repercutiam nesta sessão informações da véspera de que um comitê de auditoria da empresa não encontrou evidências de prestação de serviços relacionados a pagamentos de 8 milhões de reais feitos ao escritório de advocacia de Márcio Thomaz Bastos entre dezembro de 2009 e maio de 2011. A auditoria foi disparada por reportagem da revista Época de abril afirmando que o escritório de Thomaz Bastos pagou 3,5 milhões de reais à empresa de consultoria do ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci, a Projeto Consultoria Financeira e Econômica. Segundo a reportagem, os advogados de Palocci e do escritório de Thomaz Bastos disseram que os pagamentos foram feitos pelo Grupo Pão de Açúcar.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below