8 de Setembro de 2015 / às 11:32 / 2 anos atrás

Fitch diz que baixa performance do Brasil está se tornando estrutural

LONDRES (Reuters) - A agência de classificação de crédito Fitch afirmou nesta terça-feira que os ratings soberanos de México e Brasil vão divergir ainda mais e que focará na dinâmica da dívida e no crescimento quando avaliar o Brasil.

Diretora sênior de ratings soberanos da Fitch, Shelly Shetty, durante entrevista à Reuters em Nova York. 24/05/2015 REUTERS/Brendan McDermid

A Fitch classifica o Brasil com rating BBB, tendo alterado sua perspectiva para negativa em abril, enquanto o México é classificado como BBB+.

“A baixa performance do Brasil está se tornando estrutural”, disse a diretora sênior de ratings soberanos da Fitch, Shelly Shetty, durante conferência em Londres.

“O foco de nossa atenção será sobre a dinâmica de crescimento e dívida... não há limiar mágico que estejamos olhando”, disse ela, acrescentando que o Brasil era um país altamente endividado mesmo quando recebeu o grau de investimento.

Ela apontou como positivo o fato de a parcela da dívida em moeda estrangeira ser de menos de 10 por cento do total.

Na semana passada, após o governo enviar ao Congresso a proposta orçamentária para o ano que vem com déficit, a diretora disse que as mudanças feitas pelo governo no cenário fiscal colocam a tendência para a obtenção de superávits primários “muito abaixo” do cenário base usado pela agência em sua última revisão do rating do Brasil.

Reportagem de Karin Strohecker

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below