11 de Novembro de 2015 / às 19:04 / 2 anos atrás

Primeiro linhão de transmissão de Belo Monte tem atraso ambiental, diz State Grid

SÃO PAULO (Reuters) - O primeiro linhão de transmissão que escoará a energia produzida pela hidrelétrica de Belo Monte, licitado em fevereiro do ano passado, está com o licenciamento ambiental atrasado, revelou nesta quarta-feira o vice-presidente de operações da principal investidora da obra, a chinesa State Grid, Ramon Haddad.

De acordo com o executivo, a empresa --que tem como sócias minoritárias na obra as subsidiárias da Eletrobras, Furnas e Eletronorte-- esperava a emissão da licença ambiental de instalação, que permite o início da construção, para no máximo julho deste ano.

“Nossa expectativa é conseguir cumprir os prazos... embora a gente tenha observado um pequeno atraso. Estamos com dificuldade até hoje de obtenção da licença de instalação”, afirmou ele, durante evento em São Paulo.

Orçado em 5 bilhões de reais, o empreendimento precisa iniciar operação no primeiro semestre de 2018.

Haddad disse que o problema provavelmente deve-se a questões “processuais” do Ibama, responsável pelo licenciamento, uma vez que o linhão, apesar de partir da região Norte do país e ir até o Sudeste, não chega a ser um projeto ambientalmente sensível, na visão da State Grid.

“Não tem dificuldades ambientais significativas, a não ser essas que a gente diria que são usuais, rotineiras, nada que justifique qualquer tipo de atraso”, disse, destacando que o projeto não passa por regiões indígenas.

Já há um sinal de alerta também quanto ao cronograma do segundo linhão para transmissão da energia de Belo Monte, que a State Grid arrematou sozinha em leilão realizado em julho deste ano.

“Temos uma expectativa boa de cumprir o prazo, apesar de a gente ter falado que 50 meses é muito desafiador (para esse projeto). Mas, ainda assim, vamos tentar e estamos confiantes de que, com ajuda e apoio dos agentes do setor, vamos conseguir vencer as dificuldades”, apontou Haddad.

O segundo linhão precisa estar pronto no início de 2019.

LEILÃO DE HIDRELÉTRICAS

O executivo da State Grid afirmou ainda que aguarda uma resposta do comando da empresa, na China, sobre a participação da empresa no leilão de hidrelétricas existentes agendado para 25 de novembro.

Segundo Haddad, a empresa tem como foco as maiores usinas do certame, Jupiá e Ilha Solteira, que pertenciam à Cesp, mas não descarta disputar lotes com hidrelétricas menores.

Ele explicou que os recursos necessários para viabilizar a entrada no certame não estão no plano de investimentos definido pela estatal chinesa para o Brasil, mas disse que há flexibilidade por parte da matriz para autorizar aportes em projetos adicionais se estes forem considerados relevantes.

Por Luciano Costa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below