25 de Fevereiro de 2016 / às 18:08 / um ano atrás

Governo do Paraná reduz previsão de safra de soja do Estado para 17,6 mi t

SÃO PAULO (Reuters) - O Paraná, segundo produtor de soja do Brasil, deverá colher uma safra de 17,6 milhões de toneladas da oleaginosa na temporada 2015/16, queda de cerca de 500 mil toneladas ante o levantamento de janeiro, previu nesta quinta-feira o Departamento de Economia Rural (Deral).

"O que deve ter acontecido (para a redução na estimativa) é que houve um período nublado em novembro e dezembro, pode ter reduzido a produção, pois a planta precisa de luminosidade", disse o agrônomo do Deral Carlos Hugo Godinho, comentando o impacto de uma menor insolação para a produtividade média.

O número do Deral ainda aponta para uma safra recorde de soja no maior produtor brasileiro após o Mato Grosso. Mas indica um volume de quase 1 milhão de toneladas abaixo da projeção da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para o Estado. O governo federal projeta uma safra histórica de mais de 100 milhões de toneladas para o país.

Ainda assim, a produção paranaense cresceria 4 por cento ante a temporada passada, segundo o Deral.

O levantamento do governo do Paraná ainda não incorpora, no entanto, eventuais problemas decorrentes de chuvas recentes no Estado, que podem também impactar a produtividade.

Até a última segunda-feira, os produtores paranaenses haviam colhido metade da safra da oleaginosa, enquanto 80 por cento das lavouras nos campos estão em boas condições, segundo o Deral.

MILHO E TRIGO

O governo do Paraná estimou a produção da primeira safra de milho do Estado em 3,5 milhões de toneladas, queda de 24 por cento ante 14/15, com uma leve revisão para baixo de cerca de 100 mil toneladas no número ante a previsão de janeiro, segundo Godinho.

O plantio de milho para colheita de verão recuou 22 por cento na atual temporada, com produtores dando preferência à soja e apostando na segunda safra do cereal.

Produtores já colheram 37 por cento do milho verão, enquanto estão em processo de plantio da segunda safra, com 69 por cento da área estimada semeada.

O milho segunda safra, a propósito, terá um crescimento no plantio de 7 por cento, para mais de 2 milhões de hectares, segundo o departamento. A produção está estimada em cerca de 12 milhões de toneladas.

A segunda safra de milho receberá impulso adicional de uma recuperação recente nos preços do cereal, que promete limitar o plantio de trigo no Estado, que em 2016 deverá ficar levemente abaixo dos 1,3 milhão de hectares do ano anterior, disse o especialista do Deral.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below