25 de Fevereiro de 2016 / às 21:19 / 2 anos atrás

Erros em indicadores derrubaram diretor da Eletropaulo, dizem fontes

SÃO PAULO (Reuters) - Erros em indicadores de qualidade da distribuidora de energia Eletropaulo que fizeram a empresa provisionar 152 milhões de reais nos últimos dois balanços trimestrais foram vistos como “grosseiros” pela fiscalização do regulador estadual e derrubaram o diretor de Operações da empresa em 2015, segundo duas fontes e documentos vistos pela Reutes.

A companhia foi multada em 77 milhões de reais pela agência paulista Arsesp, sendo uma infração de 31,5 milhões no final de 2015 e uma de 45,7 milhões em janeiro deste ano, por má qualidade e falhas nos dados que medem duração e frequência de blecautes.

A fiscalização disse que encontrou “erros grosseiros” e “nível baixo de confiabilidade” nos dados da AES Eletropaulo, além de outras irregularidades, incluindo casos de não pagamento ou atraso na compensação a consumidores afetados pelas interrupções no serviço, que pela legislação devem receber créditos na conta de luz.

As inconsistências foram resultado da comparação de dados colhidos em campo pelos técnicos de fiscalização em relação aos informados pela distribuidora à Aneel.

Duas fontes próximas ao assunto disseram que os problemas derrubaram o diretor de Operações da companhia, Otavio Rennó Grilo.

Os dados sobre as “inconsistências” nos indicadores foram a público em novembro de 2015, quando a companhia divulgou as primeiras provisões relacionadas ao assunto junto com o balanço do terceiro trimestre.

A Reuters tentou contato com o ex-executivo, mas não obteve retorno.

Em seu perfil no Linkedin, Grilo aponta que deixou a AES Eletropaulo em agosto de 2015. Na mesma época, o executivo Saulo Ramos aponta no seu perfil na rede social ter iniciado como diretor de Operações na empresa.

“Trocaram todo o pessoal que cuidava dos indicadores, do júnior ao diretor”, disse uma das fontes, sob a condição de anonimato.

No balanço divulgado nesta semana, a Eletropaulo estimou que a duração das interrupções em 2015, após revisão dos dados, ficou 76,8 por cento superior à de 2014, enquanto a frequência das falhas atingiu nível 21,3 por cento superior ao ano anterior.

Procurada, a Eletropaulo disse em nota que “comunicou as falhas formalmente à Aneel e está trabalhando com o regulador no reprocessamento desses indicadores operacionais..., na apuração do montante exato dos impactos econômicos e financeiros decorrentes desse reprocessamento, bem como nas ações de ressarcimento a todos os clientes.”

A empresa também afirmou que o aumento na duração e frequência dos blecautes em 2015 deve-se a um aumento nas manutenções preventivas da rede e a obras de melhoria, além de “maior severidade dos eventos climáticos, notadamente no primeiro trimestre e nos meses de setembro e novembro”

Na semana passada, a AES, controladora da Eletropaulo, anunciou uma grande reformulação em seus cargos de direção, com o executivo Britaldo Soares deixando o comando do grupo norte-americano no Brasil, bem como os cargos de diretor-presidente da geradora AES Tietê e da distribuidora.

SÉRIE DE FALHAS

Segundo os documentos da Arsesp, chegou a haver desvios de até 3,5 mil por cento em dados sobre a duração de interrupções no serviço da elétrica em um bairro, enquanto números sobre a frequência das falhas chegaram a ter desvio de 3,1 mil por cento em determinada região.

A agência apontou que “diferenças percentuais com valores muito elevados entre os indicadores” ajudaram a elevar uma das multas.

A fiscalização também disse haver encontrado interrupções indevidamente registradas como decorrentes de “situação de emergência” e até mesmo desencontros em relação ao número de consumidores da empresa.

A Arsesp relata ainda que “não foi identificada devida compensação” aos consumidores por falhas no serviço em 3,12 por cento da amostra de dados em uma das infrações. “Diante disso, supostamente a Eletropaulo não estaria efetuando o crédito aos consumidores”.

A Eletropaulo argumentou à Arsesp que “no decorrer da fiscalização identificou uma falha pontual no processamento de informações necessárias para o lançamento do crédito... ocorrido em algumas instalações” e corrigiu o problema “imediatamente”.

A empresa também alegou que houve “falha pontual no processamento da base (de dados) de todas as unidades consumidoras da empresa”.

Em teleconferência na quarta-feira, os executivos da Eletropaulo foram bastante questionados sobre o tema, e o diretor financeiro, Francisco Morandi, disse que a provisão representa a “melhor estimativa” para as perdas com os problemas.

Os indicadores também chamaram a atenção de analistas. Relatório do Itaú BBA apontou as falhas como ponto de alerta na companhia, juntamente com maior inadimplência e aumento de custo de serviços.

“Quando se fala em lucratividade da distribuidora, é tudo uma questão de eficiência operacional, e acreditamos que essa é uma área em que a Eletropaulo tem espaço para melhorar.”

Já os analistas do UBS apontaram que o principal guia para as ações da companhia são os “passivos fora do balanço”.

Por Luciano Costa; reportagem adicional de Leonardo Goy, em Brasília

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below