29 de Abril de 2016 / às 20:22 / em 2 anos

Dólar cai 1,64%, a R$3,44 e menor patamar em 9 meses, com cena externa

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caiu mais de 1,5 por cento nesta sexta-feira e foi a 3,44 reais acompanhando o cenário externo, apesar das atuações mais intensas do Banco Central no mercado de câmbio numa sessão marcada ainda pela briga para a formação da Ptax do mês.

O dólar recuou 1,64 por cento, a 3,4401 reais na venda, menor patamar desde 31 de julho (3,4247 reais), depois de ter chegado a 3,4291 reais na mínima do dia. O dólar futuro caía cerca de 1,15 por cento no fim desta tarde

Na semana, a moeda norte-americana acumulou queda de 3,65 por cento, enquanto em abril, a baixa foi de 4,34 por cento.

“O BC não foi suficiente para conter a queda com o cenário externo favorável”, disse o operador de câmbio da corretora Correparti, Jefferson Luiz Rugik.

No exterior, o dólar também perdeu força ainda na esteira de dados dos Estados Unidos que mostraram números mais fracos do crescimento econômico e depois de o Federal Reserve, banco central norte-americano, mostrar cautela na alta de juros.

O dólar também caiu em relação ao iene, com os investidores apostando que o banco central do Japão não anuncie novas medidas de estímulo à economia. Além disso, perdeu em relação a moedas de países como o México e e também frente a uma cesta de moedas.

Com a queda acentuada no dólar, o BC brasileiro voltou a dar as caras, depois de ficar quatro sessões quieto. Desde a semana passada, a autoridade monetária já havia desacelerado o ritmo, fazendo menos intervenções do que no período anterior, que antecedeu a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. Agora, o Senado cuida do assunto.

Neste pregão, o BC realizou quatro leilões de swaps cambiais reversos, equivalente à compra futura de dólares, vendendo 32,6 mil contratos, equivalente a 1,630 bilhão de dólares e que serviram para reduzir ainda mais o estoque de swaps cambiais tradicionais --correspondentes à venda futura de dólares.

Operadores entenderam que 3,50 reais era um piso para a autoridade monetária. “O mercado estava até respeitando o limite de 3,50 reais. Agora que passou, pode ser teste o piso de 3,40 reais”, disse o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo

O BC realizou ainda dois leilões de venda de dólares com compromisso de recompra, conhecido como leilão de linha, para rolagem.

A sessão no Brasil foi marcada ainda pela formação da Ptax de abril, taxa calculada pelo BC que serve de referência para diversos contratos cambiais, o que costuma trazer alguma volatilidade aos negócios.

O cenário político também seguiu no radar dos investidores, que aguardavam os desdobramentos do processo de impeachment da presidente Dilma.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below