6 de Maio de 2016 / às 21:07 / em 2 anos

Bovespa fecha quase estável após sessão volátil, mas cai 4% na semana

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou praticamente estável nesta sexta-feira, após sessão volátil, com o comportamento de Wall Street e dos preços do petróleo dividindo o foco com o noticiário corporativo e o cenário político local.

O Ibovespa subiu 0,09 por cento, a 51.717 pontos, após oscilar entre 0,9 por cento de alta e de baixa durante o pregão.

O volume financeiro na bolsa somou 5,67 bilhões de reais.

Na semana, o Ibovespa caiu 4 por cento.

As bolsas em Nova York se recuperaram da queda inicial e fecharam em alta, com os investidores avaliando os dados do mercado de trabalho norte-americano como menos decepcionantes do que percebido inicialmente.

No Brasil, a comissão especial do impeachment no Senado aprovou parecer favorável à abertura do processo contra a presidente Dilma Rousseff, deixando o provável afastamento da petista mais próximo.

A decisão na véspera do STF de suspender o mandato de deputado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), porém, adicionou algum ruído, em razão de dúvidas sobre o seu efeito no aguardado governo do vice-presidente Michel Temer.

DESTAQUES

- PETROBRAS encerrou com as preferenciais em alta de 2,75 por cento, conforme os preços do petróleo avançaram no mercado internacional e tendo a cena política ainda no radar, o que atenuou a pressão vendedora no Ibovespa. Ainda assim, as ações fecharam a semana em queda de 1,47 por cento.

- VALE fechou com as preferenciais também em alta de 1,88 por cento, recuperando-se após quatro quedas consecutivas, a despeito do recuo do preço do minério de ferro. Na semana, os papéis da mineradora recuaram 14,1 por cento.

- BRADESCO subiu 0,4 por cento, em sessão volátil para os bancos, enquanto ITAÚ UNIBANCO fechou praticamente estável, com variação positiva de 0,03 por cento.

- LOJAS AMERICANAS caiu 4,84 por cento, liderando as perdas do Ibovespa, após prejuízo de 23,9 milhões de reais no primeiro trimestre, em sessão negativa para o setor de varejo como um todo. O Grupo Pão de Açúcar cedendo 1,22 por cento.

- EMBRAER caiu 3,87 por cento e BRASKEM cedeu 3,47 por cento, conforme o dólar acelerou a queda frente ao real à tarde. A petroquímica também sofreu com continuidade de realização de lucros após o balanço e teve no radar projeto de lei encaminhado pela presidente Dilma Rousseff ao Congresso Nacional que aumenta a velocidade de queda nos benefícios fiscais concedidos à indústria química.

- ESTÁCIO caiu 1,17 por cento, após divulgar resultado trimestral considerado fraco por alguns analistas.

- TRACTEBEL perdeu 1 por cento, em meio à análise do balanço trimestral, que mostrou crescimento do lucro do primeiros três meses do ano, mas menor geração de energia.

- CETIP subiu 1 por cento, após reportar lucro líquido de janeiro a março de 135,2 milhões de reais, alta de 12 por cento sobre um antes.

- SMILES avançou 4,61 por cento, recuperando-se de forte perda na véspera, mesmo com Gol, que não está no Ibovespa, tendo recuado 1,85 por cento, após a companhia aérea dizer que pode alterar o seu plano de reestruturação de dívida, rejeitado por um grupo de credores.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below