14 de Junho de 2016 / às 20:47 / um ano atrás

Bovespa cede 2% com apreensão antes de Fed e referendo da Grã-Bretanha

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com desvalorização de 2 por cento nesta terça-feira, diante da aversão global a risco, com investidores mostrando cautela antes da decisão do Federal Reserve sobre taxa de juros nos Estados Unidos e do referendo sobre possível saída da Grã-Bretanha da União Europeia.

O Ibovespa cedeu 2,04 por cento, a 48.648 pontos, menor patamar desde 31 de maio. O giro financeiro da bolsa totalizou 6,15 bilhões de reais.

O índice chegou a operar no azul mais cedo, amparado principalmente por ações do setor financeiro, após queda relevante na última sexta-feira. Mas a melhora do mercado não se sustentou.

As bolsas norte-americanas recuaram pelo quarto pregão consecutivo em meio a temores sobre os riscos de saída da Grã-Bretanha da União Europeia, que levou os rendimentos dos títulos públicos alemães para abaixo de zero pela primeira vez, e um dia antes da decisão do Fed.

“Nesse cenário, vemos que o mercado está com uma maior preocupação com o crescimento global, o que se mostra claramente pelas quedas de ações de empresas de commodities (na Bovespa)”, disse o analista Rafael Ohmachi, da Guide Investimentos.

Na cena doméstica, o radar do mercado pairou principalmente sobre o avanço das investigações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki encaminhar seu processo ao juiz federal Sérgio Moro, que cuida da operação Lava Jato.

DESTAQUES

-- VALE encerrou com queda de 3,75 por cento nas ações ordinárias e 2,48 por cento nas preferenciais, após queda dos contratos futuros do minério de ferro na China, assim como da commodity para entrega imediata no porto de Tianjin.

-- PETROBRAS teve baixa de 3,71 por cento nas ações preferenciais e 3,14 por cento nas ordinárias em dia de baixa do petróleo. A estatal anunciou que pode propor um acordo com sindicatos para reduzir salários e horas de trabalho para parte dos funcionários, o que ajudaria a companhia a reduzir dívida.

-- CEMIG recuou 3,42 por cento, após notícia de que a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs limitar a distribuição de dividendos e pagamento de juros sobre o capital próprio aos acionistas por distribuidoras de energia que descumprirem metas.

--SMILES avançou 0,65 por cento, única alta do Ibovespa. O Bradesco elevou o preço-alvo da ação para 53 reais, com recomendação “outperform”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below