1 de Setembro de 2016 / às 20:17 / um ano atrás

Dólar sobe 0,63% ante real com cautela, de olho em fiscal no Brasil e juros nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta frente ao real nesta quinta-feira, com investidores adotando cautela à espera de novas sinalizações sobre avanços no campo fiscal depois da confirmação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e em busca de novas pistas sobre quando os juros norte-americanos voltarão a subir.

Foto de arquivo mostra detalhe de nota de um dólar, em Tóquio 09/09/2010 REUTERS/Yuriko Nakao/File Photo

A moeda norte-americana subiu 0,63 por cento, a 3,2495 reais na venda, após bater 3,2642 reais na máxima do dia. O dólar futuro subia cerca de 0,75 por cento nesta tarde.

“Existe o mal estar causado pelas divergências vistas ontem entre PSDB e PMDB na votação do impeachment, o que pode dificultar as aprovações do ajuste fiscal no governo (do presidente Michel) Temer”, disse o superintendente geral de câmbio da corretora SLW, João Paulo de Gracia Correa

Na véspera, Dilma teve o mandato cassado, condenada pelo Senado por crime de responsabilidade. No entanto, em votação separada, teve seus direitos políticos mantidos, o que causou desconforto em parte da base aliada de Temer no Congresso Nacional.

Analistas da consultoria de risco político Eurasia Group esperam que o PSDB continue exercendo pressão sobre o PMDB, mas acreditam que a coalização deve continuar.

“Com dois anos até a próxima eleição, o PSDB vai pensar duas vezes antes de trocar um papel coadjuvante no governo por um papel coadjuvante na oposição”, escreveram analistas do Eurasia em relatório.

A cautela também veio com a expectativa pelos dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos, no dia seguinte, onde agentes de mercado buscarão pistas sobre o momento da próxima alta de juros na maior economia do mundo.

“Vai ser o principal indicador (para sinalização de alta de juros nos EUA)”, disse o estrategista da corretora Icap, Juliano Ferreira.

Declarações recentes de membros do Fed levaram o mercado a ver mais chances de alta de juros nos EUA ainda em setembro. Juros mais elevados tendem a atrair para a maior economia do mundo ativos atualmente investidos em países como o Brasil.

O Banco Central voltou a vender nesta manhã a oferta total de até 10 mil swaps reversos, que equivalem a compra futura de dólares.

Reportagem adicional de Bruno Federowski

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below