5 de Setembro de 2016 / às 20:22 / em um ano

Dólar tem 3ª alta seguida sobre o real, com cautela em pregão de liquidez estreita

Notas de dólares dos Estados Unidos são retratados em foto tirada em Westminster, no Colorado 03/11/2009 REUTERS/Rick Wilking/File Photo

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta sobre o real nesta segunda-feira, terceira sessão seguida de valorização, com investidores preferindo a cautela diante do contexto político ainda conturbado no Brasil e em meio à liquidez reduzida nos mercados globais devido ao feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos.

O dólar avançou 0,88 por cento, a 3,2821 reais na venda, depois de oscilar entre a mínima de 3,2474 reais e a máxima de 3,2841 reais no dia.

Em três pregões, o ganho da moeda norte-americana foi de 1,64 por cento. O dólar futuro subia por volta de 0,70 por cento nesta tarde.

“O contexto político continua sendo bastante desafiador. Temer ainda não foi capaz de convencer o mercado de que ele vai conseguir atravessar a tormenta e aprovar as reformas fiscais”, disse o operador da corretora B&T Marcos Trabbold, referindo-se ao presidente da República, Michel Temer.

Ruídos ligados à base aliada do presidente recém-empossado vêm alimentando a cautela nos mercados locais, que esperam cada vez mais impacientemente um sinal de força política que demonstre que o governo será capaz de colocar as contas públicas em ordem.

Em viagem à China no fim de semana, Temer afirmou que o governo deve anunciar em 13 de setembro o primeiro pacote de concessão de ativos de infraestrutura, mas não deu mais detalhes.

“O impeachment da (ex-presidente Dilma Rousseff) passou e não teve nenhuma grande compra de Brasil neste meio tempo, o que mostra que o assunto já estava precificado”, comentou o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado.

“Quem estava apostando numa queda maior do dólar percebeu que ela não seria tão grande no curto prazo e resolveu recomprar parte das posições”, emendou ele, acrescentando que a política monetária também acaba influenciando o mercado de câmbio neste momento.

Na semana passada, o Banco Central não mexeu na Selic mas indicou que ela pode ser reduzida antes do esperado, em outubro, o que acaba tirando parte da atratividade dos ativos brasileiros. Na terça-feira, o BC divulga a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) e os investidores vão em busca de mais sinais sobre o rumo da taxa básica de juros, hoje em 14,25 por cento ao ano.

Nesta manhã, o BC vendeu novamente a oferta total de até 10 mil swaps reversos, que equivalem a compra futura de dólares.

Reportagem adicional de Cladia Violante

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below