28 de Agosto de 2017 / às 15:04 / em 3 meses

Bovespa tem leve alta de olho em votações no Congresso

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista tinha leve alta nesta segunda-feira, após subir mais de 3 por cento na semana passada, com investidores à espera da aprovação pelo Congresso das novas metas fiscais do governo e da conclusão da votação da Taxa de Longo Prazo (TLP) na Câmara dos Deputados.

Às 11:59, o Ibovespa subia 0,3 por cento, a 71.286 pontos. O giro financeiro era de 2 bilhões de reais.

O cenário político agitado desta semana inclui a tentativa do governo de obter o aval do Congresso para as novas metas de déficit primário para este e o próximo ano, que precisam ser aprovadas até quinta-feira. No caso da TLP, a Câmara ainda vai apreciar destaques antes de enviado o projeto para o Senado, onde precisa ser apreciado até 6 de setembro.

Diante deste cenário, o presidente Michel Temer convocou uma reunião ministerial para esta segunda-feira para acertar a agenda do governo e as votações prioritárias no Congresso durante a semana que estará fora do país, em visita oficial à China.

“A própria reforma da Previdência deve voltar com mais força, pois, para ser posta em prática no próximo ano, a medida tem que ter a votação concluída ainda em setembro deste ano, com isso, alguns pontos relevantes podem ser deixados de lado pelo governo para viabilizar a aprovação da medida que ajudará, em muito, as contas públicas”, escreveram analistas da Coinvalores, em nota a clientes.

DESTAQUES

- JBS ON ganhava 3,60 por cento, liderando a ponta positiva do Ibovespa, ainda reagindo bem à homologação do acordo de leniência da controladora J&F na semana passada e também diante das expectativas pela assembleia geral extraordinária, que acontece na sexta-feira. Entre os assuntos, os acionistas devem votar sobre o pedido do BNDES, pelo afastamento de Wesley Batista da presidência da JBS. Nesta segunda-feira, a empresa informou que a maioria do conselho decidiu pela manutenção de Wesley Batista na presidência da companhia.

- ECORODOVIAS ON subia 2,32 por cento e CCR ON avançava 1,02 por cento, favorecidas pela tendência de queda nos juros básicos, com economistas na pesquisa Focus do Banco Central vendo a Selic fechando este ano em 7,25 por cento. Além disso, também no radar está o pacote de concessões do governo, com a possibilidade de participação das empresas.

- PETROBRAS PN ganhava 0,65 por cento, enquanto PETROBRAS ON tinha variação positiva de 0,07 por cento, em sessão de queda para os preços do petróleo no mercado internacional. Ajudando a limitar o impacto negativo da commodity na ação estavam os planos de desinvestimentos da petroleira, diante do início do processo para vender 50 campos terrestres no Nordeste. - VALE ON tinha alta de 1,09 por cento, apesar da queda nos contratos futuros do minério de ferro na China. No radar estava a oferta para aquisição de bônus com vencimento em 2020 e resgate total de títulos com vencimento em 2019, o que ajuda a reduzir a despesa financeira da empresa.

- ELETROBRAS ON caía 1,57 por cento e ELETROBRAS PNB perdia 1,05 por cento, entre os destaques negativos do índice, em movimento de ajuste após os fortes ganhos acumulados na semana passada diante do anúncio de planos de privatização da estatal. Apenas na sessão imediatamente após o anúncio, as ações ON subiram quase 50 por cento.

Por Flavia Bohone

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below