19 de Setembro de 2017 / às 12:36 / em 2 meses

CGU declara Tomé Engenharia inidônea por pagamento de propinas na Petrobras

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de equipamentos e transportes Tomé Engenharia foi declarada inidônea pelo governo, com proibição de fechar novos contratos com a administração pública ou participar de licitações, de acordo com despacho do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União no Diário Oficial desta terça-feira.

Segundo a pasta, a punição foi aplicada após a empresa “ter efetuado pagamento a agentes públicos da Petrobras S/A com finalidades ilícitas, bem como por ter participado esporadicamente de procedimentos licitatórios direcionados em conluio com outras empresas”.

A medida vem após denúncia na Operação Lava Jato, em que autoridades brasileiras têm investigado um enorme esquema de corrupção no país que envolveu políticos, partidos, estatais e empresas privadas.

A Tomé Engenharia, criada em 1973, possui atuação nas áreas de movimentação de cargas em geral e engenharia. Em junho deste ano, a empresa e outras do grupo entraram com pedido de recuperação judicial, alegando problemas devido à “gravíssima crise econômico-financeira” do país, segundo informações do site da empresa.

Por Luciano Costa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below