27 de Setembro de 2017 / às 22:57 / em 25 dias

Proposta tributária de Trump reduz impostos de empresas e ricos, mas déficit preocupa

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, propôs nesta quarta-feira a maior revisão de impostos na economia norte-americana em três décadas, oferecendo redução de impostos para a maioria dos norte-americanos, mas provocando críticas de que o plano favorece os ricos e as empresas e poderia aumentar em trilhões de dólares o déficit do país.

A proposta, que o presidente republicano disse ter sido destinada a ajudar pessoas que trabalham, a criar empregos e tornar o sistema tributário mais simples e justo, enfrenta uma batalha árdua no Congresso, com o partido de Trump dividido e o Partido Democrata hostil.

O plano pretende reduzir o imposto de renda das empresas, diminuir os impostos das pequenas empresas, reduzir a alíquota máxima do imposto de renda de pessoas físicas e eliminar alguns incentivos fiscais amplamente utilizados, incluindo um que beneficia pessoas que vivem em Estados com tributação elevada dominados por democratas.

O plano, discutido durante meses entre os assessores de Trump e os principais republicanos no Congresso, traz poucos detalhes sobre como compensar os cortes sem elevar o déficit fiscal.

Falando em um evento em Indianapolis, Trump classificou o plano como o maior corte de impostos na história dos EUA e de um “alívio tributário histórico para o povo americano”.

“Esta é uma oportunidade única em uma geração”, disse Trump. “Queremos uma reforma tributária que seja pró-crescimento, pró-emprego, pró-trabalhador, pró-família, e sim uma reforma fiscal que seja pró-americana”.

Os republicanos não tiveram grandes vitórias legislativas desde que Trump assumiu o cargo em janeiro, mesmo controlem a Casa Branca e as duas casas do Congresso.

A principal prioridade legislativa dos republicanos, uma revisão do sistema de saúde dos EUA, fracassou no Senado na terça-feira, enquanto outro item fundamental da lista de desejos da Trump, o aumento de gastos com infraestrutura, ainda não se materializou.

A Casa Branca informou que, com a proposta tributária, as famílias típicas da classe média teriam uma isenção maior do imposto de renda. Trump observou que os primeiros 12 mil dólares ganhos por um indivíduo e os primeiros 24 mil dólares por um casal seriam isentos de impostos.

O plano propõe a redução da alíquota mais alta do imposto de renda de pessoa física de 39,6 por cento para 35 por cento. O plano prevê uma alíquota de 20 por cento do IR para pessoas jurídicas, ante os atuais 35 por cento, acima da demanda inicial de Trump de uma alíquota de 15 por cento.

As empresas nos Estados Unidos pagam impostos elevados para os padrões globais, mas muitas pagam muito menos do que alíquota global a lacunas e isenções fiscais.

A proposta agora enfrentará um longo processo legislativo que pode demorar meses. Trump tem apelado aos democratas para apoiarem o plano, embora os opositores não tenham sido consultados durante a sua elaboração.

Reportagem adicional de Susan Heavey, Doinca Chiacu e Amanda Becker

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below